Le Biscuit apresenta pedido para IPO

Le Biscuit apresenta pedido para IPO
A rede de lojas de departamento Le Biscuit

A rede de lojas de departamento baiana Le Biscuit, protocolou na última sexta-feira (29) na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o pedido para realizar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

A abertura de capital, que será coordenada pelos bancos Bank of America, XP (XP), Itaú BBA, Santander (SANB11) e Citi, será seja primária que secundária. Isso pois o grupo de investimentos Vinci Partners venderá parte de sua participação na Le Biscuit, junto com outros 15 investidores pessoas físicas.

Por outro lado, os recursos capitados com a emissão de novas ações serão usados para o pagamento antecipado de dívidas, além de obras de reformas e expansão de lojas, investimentos em TI, logística e reforço ao capital de giro.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Conheça a história da Le Biscuit

Fundada em 1968 por Aristóteles Santanna na cidade de Feira de Santana (BA) como um pequeno armarinho de 100 metros quadrados, a Le Biscuit tem hoje uma rede de 141 lojas, sendo 136 próprias e 5 franquias, localizadas em 74 municípios de 14 Estados brasileiros. Seu faturamento é superior a R$ 1,2 bilhão, e está investindo de forma intensa nas operações on line.

O seu e-commerce foi inaugurado em setembro do ano passado, com um espaço dedicado a listas de casamentos Renée Pereira. A venda de produtos no site com retirada em loja ou entrega em casa iniciou no começo do ano na cidade de Salvador, com uma expansão gradual em todo o território nacional prevista para terminar no final de 2020. Mas a empresa  vende todo tipo de produto, como:

  • papelaria;
  • artigos para festa;
  • itens de higiene;
  • beleza e moda;
  • cama, mesa e banho;
  • eletrodomésticos;
  • alimentos.

A ideia do presidente da empresa, David Lee, é criar um marketplace, nos moldes do sucesso de outras empresas de varejo, como a Magazine Luiza (MGLU3), para oferecer produtos seja da Le Biscuit que fora de seu portfólio, dedicado especialmente para as classes B e C.

A entrada da gestora Vinci Partners, que tem R$ 22 bilhões em ativos sob gestão e a participação em empresas como Burger King e Domino’s, permitiu que a Le Biscuit começasse um processo de expansão desde 2011, chegando a decuplicar em menos de 10 anos seu faturamento anual. Entre as estratégias de gestão bem sucedidas está o lançamento do programa de franquias, voltado para cidades com população entre 80 mil e 200 mil habitantes, que já conquistou grande parte da região nordeste do Brasil.

Carlo Cauti

Compartilhe sua opinião