Imóveis

Lançamentos de imóveis recuam 62,5% em relação ao último trimestre

0

Os lançamentos de imóveis recuaram 62,5% no primeiro trimestre de 2019 em comparação com o quarto trimestre de 2018. Contudo, se a base comparativa considerada forem os três primeiros meses do ano passado, o resultado apresenta uma alta de 4,2%. Assim, foram lançadas 14.680 novas unidades. Os dados foram divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), nesta segunda-feira (27).

Por sua vez, as vendas de imóveis neste semestre, na comparação anual, foram de 28.676 unidades, uma alta de 9,7% . Assim, em relação aos últimos três meses de 2018, caíram 18,9%. Já a oferta final recuou 8,6% em relação ao primeiro trimestre do ano anterior, e em relação ao quarto trimestre de 2018, a redução foi de 6%.

Desse modo, no primeiro período do ano, do total da oferta de imóveis, 24% são referentes a unidades na planta, 47% em construção e 29% de unidades prontas.

Saiba Mais: Vendas de imóveis sobem 37,3% entre fevereiro e março, diz Secovi

Mudança Minha Casa Minha Vida

No setor de subsídios para moradia, o Minha Casa Minha Vida será reformulado. Assim, os beneficiários das classes mais baixas terão de alugar imóveis do governo. Atualmente eles realizam um financiamento para aquisição da casa própria. As informações foram confirmadas pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto.

De acordo com o ministro, a atualização do programa deve ser anunciada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no início de julho.

Saiba Mais: Preço médio de imóveis tem queda de 1,7% entre janeiro e abril

Confira a divisão das faixas do programa Minha Casa Minha Vida de acordo com a renda mensal das famílias:

  • Faixa 1: renda de até R$ 1,8 mil;
  • Faixa 1,5: renda de até R$ 2,6 mil;
  • Faixa 2: renda de até R$ 4 mil;
  • Faixa 3: renda de até R$ 9 mil.

De acordo com Canuto, na faixa 1 foi identificada a maioria das falhas do programa. Para os beneficiários de maior renda, o governo entra com mais subsídios para a aquisição do imóvel. O Estado pode cobrir até 90% do valor do imóvel.

Uma novidade para o programa é a forma como o governo irá subsidiar a construção dos empreendimentos. A proposta do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) é que terrenos e imóveis que pertençam às prefeituras, Estados e União sejam doados para construtoras.

Compartilhe a sua opinião

Beatriz Oliveira
Formada em Jornalismo pela Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação, Beatriz Oliveira escreve para o portal de notícias Suno Research. Antes, passou pelas redações da Revista EXAME e da Rede Bandeirantes.