JBS (JBSS3): Justiça volta a interditar planta de Passo Fundo

JBS (JBSS3): Justiça volta a interditar planta de Passo Fundo
JBS (JBSS3):

A Justiça do Trabalho publicou na noite da última quarta-feira (24) decisão em volta a determinar a interdição da planta de Passo Fundo (RS) da JBS (JBSS3).

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-RS) restabeleceu a ordem de suspensão das atividades na unidade de abate de aves da JBS após decisão tomada em sessão realizada na segunda-feira (22).

Desse modo, volta a vigorar o termo de interdição dos auditores fiscais até que a companhia do setor alimentício ateste o atendimento rigoroso e integral das medidas estabelecidas pela Gerência Regional do Trabalho, com o objetivo de conter a disseminação do novo coronavírus no frigorífico e preservar a segurança dos funcionários.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Em caso de descumprimento das ordens, a JBS está sujeita a uma multa de R$ 10 mil por dia e por empregado. A unidade de Passo Fundo, atualmente, mantém cerca de 2,4 mil trabalhadores empregados.

Unidade da JBS em Passo Fundo é interditada

Os auditores fiscais do Trabalho vinculados ao Ministério da Economia interditaram a unidade de Passo Fundo no dia 24 de abril deste ano. A vistoria que resultou na ordem de paralisação ocorreu após denúncia do Ministério Público do Trabalho do Estado (MPT/RS).

Saiba mais: JBS (JBSS3): planta é interditada devido a surto de coronavírus

Segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde, a planta apresentava 2 funcionários com diagnóstico positivo para a covid-19 e três haviam contatos próximos confirmados. Enquanto, 15 possuíam suspeita da doença e quatro tinha contatos próximos com suspeita.

Saiba mais: JBS (JBSS3): Justiça determina teste para coronavírus em funcionários de Três Passos

A JBS havia comunicado em nota vinha tomando “todas as medidas possíveis para garantir a máxima segurança e prevenção de seus colaboradores nos ambientes de fábricas, Centrais de Distribuição e escritórios”.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião