Joaquim Levy assumirá diretoria de estratégia econômica do banco Safra

Joaquim Levy assumirá diretoria de estratégia econômica do banco Safra
Joaquim Levy pede demissão da presidência do BNDES

O Banco Safra anunciou nesta segunda-feira (22) que Joaquim Levy, o ex-ministro da Fazenda e ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), assumirá o cargo de diretor de estratégia econômica e relações com mercados da instituição. Atualmente, Levy desenvolvia pesquisas sobre tecnologias e economias sustentáveis na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Levy será responsável pela área de macroeconomia do banco que possui patrimônio líquido de mais de R$ 12 bilhões. A carteira de crédito soma R$ 110 bilhões e os recursos de terceiros sob gestão totalizam aproximadamente R$ 250 bilhões. A instituição financeira pertence ao Grupo J.Safra, que atua há mais de 175 anos e está presente em 25 países, gerindo aproximadamente R$ 1 trilhão em ativos.

O banco afirmou por meio de nota ao mercado que “Levy passa a integrar o time de especialistas do Safra e será responsável pela área de macroeconomia e de relações com o mercado”.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Doutor em Economia pela Universidade de Chicago, mestre em Economia pela Fundação Getúlio Vargas e graduado em Engenharia Naval pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Levy pediu demissão do cargo de presidente do BNDES em 2019.

O histórico de Joaquim Levy

Veja também: Joaquim Levy pede demissão da presidência do BNDES

Além de ministro da Fazenda e presidente do BNDES, Levy desempenhou os seguintes cargos:

  • Integrou os quadros do Fundo Monetário Internacional (FMI) entre 1992 e 1999;
  • Foi economista visitante no Banco Central Europeu em 1999 e 2000;
  • No mesmo ano, foi nomeado secretário-adjunto de política econômica do ministério da Fazenda;
  • Durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, ele se tornou economista-chefe do ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão;
  • Em 2003, passou a ser o secretário do Tesouro Nacional;
  • Em 2006 se tornou vice-presidente financeiro do Banco Interamericano de Desenvolvimento;
  • Em 2007, ele assumiu a Secretaria de Estado da Fazenda do Rio de Janeiro;
  • Em 2010 ele se tornou estrategista-chefe e depois diretor da Bradesco Asset Management, ali permanecendo até novembro de 2014;
  • Em 2016, Levy assumiu o cargo de diretor geral do Banco Mundial.

Daniel Guimarães

Compartilhe sua opinião