Negócios

JBS nega motivação em vantagens fiscais em possível listagem nos EUA

0

A JBS (JBSS3) negou, nesta sexta-feira (6), que seus estudos para listagem de ações no mercado acionário dos Estados Unidos tenham como motivação obter vantagens fiscais.

Em comunicado, a JBS afirma que: “Os estudos não estão sendo conduzidos com a finalidade de obtenção de benefícios tributários”.

A empresa ainda afirmou que, independente do cenário, “o controle continuará sendo exercido por uma sociedade brasileira”.

O comunicado da empresa vêm após uma notícia publicada, nesta sexta, pelo jornal “Folha de S. Paulo” afirmar que a JBS poderia transferir sua sede para a Holanda ou Luxemburgo para pagar menos impostos.

JBS compra Marba

A Superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, na última quinta (5), sem restrições a aquisição da empresa Marba pela JBS.

Saiba mais: Cade aprova sem restrições a aquisição da Marba pela JBS

Segundo o Cade, uma das principais subsidiárias da JBS vai adquirir a totalidade do capital social da Marba. O órgão antitruste avaliou que a participação de mercado da Seara vai ser superior a 20% após a aquisição. No entanto, não há indícios de monopólio ou diminuição de competitividade com empresas que atuam no mesmo setor.

Nos documentos enviados ao Cade, a Marba informou que a operação está alinhada com a estratégia de desinvestimentos. Por sua vez, a JBS justificou que a aquisição representa a oportunidade de ampliação do portfólio.

Empresa pretende investir R$ 8 bi no Brasil em cinco anos

O CEO da companhia, Gilberto Tomazani, informou que a companhia pretende investir R$ 8 bilhões no Brasil.

De acordo com Tomazani, os recursos investidos serão direcionados para a expansão das unidades da Seara no País. Além disso, o montante será utilizado para a construção de fábricas de ração e de incubatórios.

Confira Também: Rússia retira restrições a fábricas da JBS e Minerva, diz órgão regulador

Por meio dos investimentos, a empresa pretende ampliar a capacidade de produção de frango, suínos e alimentos processados. Segundo uma fonte familiarizada com o assunto, a empresa de alimentos poderá dobrar de tamanho com a aplicação dos recursos.

O CEO da JBS também salientou que a medida gerará 25 mil empregos diretos e 100 mil vagas indiretas para a Seara, que atualmente conta com 75 mil funcionários.

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.