Política

Jair Bolsonaro diz que não pretende sair do PSL por ‘espontânea vontade’

0

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta quarta-feira (9) que não pretende deixar o PSL por “livre e espontânea vontade”. A declaração ocorreu em uma entrevista exclusiva ao portal “O Antagonista”.

As tensões entre Jair Bolsonaro e o partido aumentaram após o mandatário pedir a um eleitor que “esqueça o PSL” e declarar que Luciano Bivar, presidente do partido, está “queimado para caramba”.

De acordo com o veículo de comunicação, o presidente afirmou que é um direito de Bivar expulsá-lo do partido. No entanto, ressaltou que não quer “entrar nessa briga”.

Além disso, Bolsonaro declarou que o partido apresentaria resultados ruins se ele saísse. “Comigo fora da legenda, a tendência do PSL é murchar. Se eu sair, é natural que muita gente saia também”, afirmou o presidente.

O presidente disse ainda que suas reclamações são para o bem do PSL. Segundo ele, todos os partidos enfrentam problemas, entretanto, as soluções cabem ao tesoureiro e ao presidente da legenda.

“O que faço é uma reclamação do bem. O partido tem que funcionar, tem que ter a verba distribuída, buscar solucionar os problemas nos diretórios. Todo partido tem problema. O presidente, o tesoureiro, eles têm que solucionar isso”, disse Bolsonaro.

Impasses entre Jair Bolsonaro e o PSL

Na última terça-feira, após Bolsonaro atacar o partido pelo qual foi eleito no ano passado e indicar que iria mudar de sigla, a legenda passou a temer um enfraquecimento. Isso ocorreu pois, caso o mandatário deixe o partido, deverá levar com ele até 15 dos 53 deputados federais, e dois dos três senadores.

Saiba mais: Jair Bolsonaro decide deixar PSL, afirma revista

O portal de notícias “UOL” informou nesta quarta-feira que o presidente do PSL, Luciano Bivar, afirmou que objetivo de Bolsonaro é descartar o partido para ser reeleito.

“No mundo político não dá para entender tudo. Bolsonaro é muito intuitivo. No momento que ele tem o sentimento de que é hora de descartar o PSL para ser reeleito, então é uma estratégia”, disse Bivar ao site.

Em tom de reconciliação, Bivar afirmou, em resposta, que vai continuar apoiando o governo do presidente Jair Bolsonaro e também disse que preferia perder sua eleição no ano passado a ver o presidente da República perdendo a dele.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.