Itaúsa (ITSA4) aumenta para 29,1% participação na Alpargatas

Itaúsa (ITSA4) aumenta para 29,1% participação na Alpargatas
Itaúsa (ITSA4)

A holding Itaúsa (ITSA3; ITSA4) anunciou nesta segunda-feira (11) que aumentou para 29,1% a sua participação acionária na Alpargatas (ALPA3; ALPA4).

Conforme informações de documento divulgado, a companhia aumento sua posição em 0,31%. As negociações foram realizadas por um preço médio de R$ 22,72 por ativo. “O movimento reforça a confiança da Itaúsa na geração de valor de longo prazo deste investimento”, informou o documento.

Na Suno One você aprende como fazer o seu dinheiro para trabalhar para você. Cadastre-se agora!

Dessa forma, na operação de compra do que corresponde a 1,789 mil  ações da empresa do ramo de calçados e lonas, a Itaúsa despendeu aproximadamente R$ 40,7 milhões.

A Alpargatas é a maior empresa brasileira do ramo de calçados e líder do setor na América Latina. A companhia é detentora de marcas como Havaianas, Meggashop, Dupé, Topper na Argentina, Sete Léguas e Osklen, além de deter a licença de Mizuno no Brasil.

Itaú reduz participação acionária na Multiplan

Da mesma forma, o Itaú Unibanco (ITUB3; ITUB4) informou nesta segunda-feira que reduziu a sua participação acionária na Multiplan (MULT3) para 4,9%.

Saiba mais: Itaú (ITUB3) projeta queda de 4,5% no PIB brasileiro

De acordo com documento divulgado pelo banco, com a nova posição, o Itaú passa a deter 28 milhões de ações da empresa de shoppings. “Tal participação não tem o objetivo de alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da sociedade”, informou a instituição financeira.

Saiba mais: Multiplan (MULT3) registra alta de 93,3% no lucro líquido do 1T20

A Multilan é uma companhia do setor de shoppings do Brasil e gerencia uma carteira com 19 unidades em operação. A empresa está presente em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal e Alagoas. Além disso, a Multiplan também atua na área de incorporação imobiliária, com investimentos em empreendimentos comerciais e residenciais.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião