Negócios

Itaú e Bradesco querem permanecer com participação no IRB

0

O Itaú Unibanco (ITUB4) e o Bradesco (BBDC4) já demonstraram o interesse em não se desfazerem das participações acionárias no ressegurador IRB Brasil Re (IRBR3). O prazo de 180 dias, período em que se comprometeram a continuar com as ações durante a oferta subsequente de ações (follow-on), realizada para a União desinvestir na empresa, termina no dia 22 de janeiro.

Segundo o jornal “O Estado de S.Paulo”, o que mantém Bradesco e Itaú atrelados ao IRB é o desenvolvimento da empresa e suas perspectivas futuras. Nos últimos 12 meses, os papéis da empresa apresentaram uma valorização de 57,02%.

Junto a resultados melhores, a governança da companhia corporativa da companhia foi alterada, tornando-se uma “corporation“, com um controle pulverizado e não concentrado na mão de poucos sócios.

Além disso, o IRB continua em busca de novos mercados para se aventurar. Entre os alvos estão, sobretudo, as big techs com grande potencial de crescimento. Nesse âmbito fechou, em 2019, uma parceria com o banco digital C6, criado por ex-sócios do BTG Pactual (BPAC11).

Itaú prevê Selic em 4% até o final de 2020

O Itaú informou, na última sexta-feira (10), que a taxa básica de juros (Selic) do Brasil deverá sofrer novos cortes neste ano. Para o banco, a Selic deverá encerrar o ano em 4%.

Em dezembro do ano passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) realizou um novo corte de 0,5 ponto percentual na taxa. Com isso, atualmente a Selic está em 4,50% ao ano, menor nível histórico.

Confira: Itaú reduz participação acionária na Tenda para 4,74%

Além disso, o banco divulgou sua previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2020. De acordo com o Itaú, a inflação deverá variar 3,50% neste ano.

A previsão apontada pelo banco para o IPCA deste ano está abaixo da meta do governo federal, que é de 4,00%.

Segundo a economista sênior do Itaú, Julia Araujo, os preços das carnes deverão apresentar deflação já neste mês de janeiro. A alta das carnes foi o principal fator para a alta da inflação no final do ano passado.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.