IRB Brasil: Fernando Passos, suposto mentor de fraudes milionárias, venceu prêmio de finanças

IRB Brasil: Fernando Passos, suposto mentor de fraudes milionárias, venceu prêmio de finanças
Após questionamentos, a CVM decidiu abrir um processo para analisar o relatório do UBS BB acerca das ações do IRB Brasil (IRBR3).

O ex-diretor de finanças do IRB Brasil (IRBR3), Fernando Passos, suposto mentor de fraudes milionárias na resseguradora, foi eleito, recentemente, o melhor diretor financeiro de instituições financeiras não bancárias. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo” e foram publicadas neste domingo (28).

A premiação vencida por Passos foi realizada pelo ranking tradicional da “Institutional Investor”, através da coleta de votos entre gestores de fundos e analistas de corretoras de valores. A votação contou com 604 profissionais. O resultado, do ranking que teve como líder o ex-membro da IRB, foi divulgado há cerca de um mês, quando a investigação estava no auge.

A pesquisa, entretanto, foi realizada alguns meses atrás, quando a IRB Brasil ainda não contava com tantos tropeços por parte de seu funcionários, principalmente do quadro diretivo.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Fim de investigação da IRB sobre a Berkshire Hathaway e fraude de R$ 60 mi

O IRB Brasil Resseguros informou, na última sexta-feira (26), que foi concluída a investigação independente realizada pela KPMG Assessores Ltda. e a Felsberg Advogados sobre a divulgação de informações falsas relacionadas a base acionária da empresa. A investigação consistia em identificar os responsáveis por dar falsas informações sobre uma suposta participação da Berkshire Hathaway na resseguradora.

“Esta investigação identificou os responsáveis pela disseminação de informação inverídica a cerca da base acionária da companhia – notadamente no tocante a Berkshire Hathaway -, os quais praticaram estes atos irregulares, em caráter individual, fora de seus mandatos e de seus poderes regulares de gestão”, comunicou a IRB Brasil.

O montante identificado nos atos corruptos da IRB que estariam ligados a venda de imóveis, que levaram a bônus milionários aos envolvidos, é de cerca de R$ 60 milhões. A informação consta no fato relevante divulgado pela companhia na última sexta.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião