IRB Brasil (IRBR3) recebe aporte de R$ 600 milhões de Bradesco e Itaú

IRB Brasil (IRBR3) recebe aporte de R$ 600 milhões de Bradesco e Itaú
IRB

O IRB Brasil (IRBR3) informou, na noite da última segunda-feira (3), que recebeu um aporte de aproximadamente R$ 600 milhões do Bradesco Seguros S.A. e do Itaú Seguros S.A. A informação foi divulgada por meio de um comunicado ao mercado.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

O investimento dos acionistas do IRB foi realizado no âmbito do aumento de capital privado da empresa. De acordo com o comunicado, o aporte é resultado da subscrição e integralização de ações no exercício dos direitos de subscrição. O pagamento foi realizado em dinheiro, à vista.

O fato relevante do dia 9 de julho revelou a aprovação do Conselho de Administração da resseguradora para um aumento de capital entre R$ 2,1 bilhões e R$ 2,3 bilhões, de forma totalmente privada, mediante à emissão de ações ordinárias dentro do limite do capital autorizado.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

“As ações a serem emitidas farão jus de forma integral a todos os benefícios, incluindo dividendos, juros sobre o capital próprio (JCP), bonificações e eventuais remunerações de capital que vierem a ser declarados pela companhia”, pontuou a empresa.

Bradesco Seguros S.A. e Itaú Seguros S.A. haviam se comprometido a acompanhar a operação de acordo com suas respectivas participações acionárias na empresa, de 15,4% e 11,3%. Foram emitidas no mínimo 303,03 milhões de ações ordinárias, com o preço de emissão de R$ 6,93, equivalente a um deságio de 10% sobre o atual preço das ações, cotadas na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) a R$ 7,70.

“Os recursos oriundos do Aumento de Capital contribuirão para o reenquadramento da Companhia aos critérios definidos pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), para os fins previstos na Resolução CNSP 321/2015, que dispõe sobre ‘a cobertura’ das Provisões Técnicas e da Margem Adicional de Liquidez Regulatória”, diz o comunicado do mês passado.

Além disso, o IRB informou que a capitalização fortalecerá a estrutura de capital da empresa, incrementando sua solvência, o que permitirá a “implementação de outras estratégias de negócios para os próximos anos”.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião