Mercado

FGV: inflação do aluguel é de 0,03% na prévia de janeiro

0

O índice de inflação do aluguel chegou a 0,03% na prévia de janeiro.

O Índice Geral de PreçosMercado (IGP-M) foi divulgado nesta quinta-feira (10) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).  O IGP-M é usado no reajuste dos contratos de aluguel. A taxa de inflação calculada para janeiro é superior à prévia de dezembro, que registrou deflação de 1,16%.

Saiba mais: Inflação do aluguel tem queda de 0,49% em novembro 

Segundo a FGV, calculando o resultado da prévia de janeiro, o IGP-M acumula inflação de 6,77% em 12 meses.

Saiba mais: Índice que reajusta os contratos de aluguel tem alta de 7,45% na taxa 

O aumento do IGP-M de dezembro para janeiro foi provocado por três subíndices:

  • Índice de Preços ao Produtor Amplo, que acompanha o atacado. O índice registrou uma deflação de 0,13% na prévia de janeiro. Uma queda de preços mais moderada em relação a dezembro, quando tinha sido de -1,7%.
  • Índice de Preços ao Consumidor, que acompanha o varejo. O índice registrou uma inflação de 0,38% na prévia de janeiro. Em dezembro, ao contrário, havia sido registrada deflação de 0,16%.
  • Índice Nacional de Custo da Construção, que passou de 0,06% em dezembro para 0,27% em janeiro.

Conheça o IGP-M

O IGP-M  começou a ser calculado pela FGV em 30 Junho de 1989. A FGV assinou um contrato com a Confederação Nacional das Instituições Financeiras para calcular o índice.

Além de servir como referência para a inflação do Brasil, o IGP-M ainda possui outros usos, como por exemplo, reajustar contratos de aluguel, de luz, e também serve como indexador de alguns investimentos.

Compartilhe a sua opinião

Carlo Cauti
Editor-chefe da SUNO Notícias. Formado em Ciências Políticas pela universidade LUISS G. Carli de Roma e mestre cum laude em Relações Internacionais, Jornalismo Internacional e de Guerra e em Economia Internacional. No Brasil, teve passagem por veículos de comunicação como O Estado de S.Paulo, G1, Veja e EXAME. Também trabalhou nas agências de notícias italianas ANSA e NOVA.