Mercado

Índices futuros de NY operam em alta; Ásia reflete resultados do consumo

0

Os índices futuros de Nova York operam no azul na manhã desta segunda-feira (25), da mesma forma que as bolsas europeias. Os mercados asiáticos, por sua vez, fecharam o pregão em estabilidade, impulsionados pelos resultados das empresas de consumo.

Por volta das 8h, os índices norte-americanos operavam de forma positiva após fecharem a última sexta-feira (22) em alta. Dow Jones apresentava uma alta de 0,98%, a 24.663 pontos. O S&P 500 futuro subia cerca de 0,99%. Por sua vez, a Nasdaq operava com uma alta de 1,10%, a 9.510,12 pontos. Hoje, os mercados dos Estados Unidos estarão fechados devido ao feriado do Memorial Day.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais!

O governo norte-americano anunciou no último domingo (24) a proibição da entrada de estrangeiros vindos do Brasil em seu país. A medida é válida para viajantes que não são nativos estadunidenses e foi tomada após o Brasil se tornar o segundo país com maior número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus, somente atrás do próprio Estados Unidos.

“O potencial de transmissão não detectada do vírus por indivíduos infectados que tentam entrar nos Estados Unidos oriundos do Brasil ameaçam a segurança do nosso sistema de transporte e infraestrutura e a segurança nacional”, disse o presidente Donald Trump, em comunicado.

Na Europa, por volta das 8h15, os índices também operam em alta nesta segunda-feira. O FTSE 100, no Reino Unido, operava com um avanço de 1,01%, e o CAC 40, na França, subia 1,43% . O FTSE MIB, bolsa italiana, apresentava um valorização de 0,80%.

Já o DAX 30, na Alemanha, país da maior economia da Europa, apresentava uma alta de 2,00% . O Euro Stoxx 50, maior índice acionário da zona do euro, subia 1,58%.

As bolsas asiáticas, de forma levemente similar, fecharam as negociações em alta. Na China, o principal índice das ações das bolsas, o SSE Composite, de Xangai, terminou o pregão estável com alta de 0,15% , a 2.817,97 pontos.

Embora o desempenho das empresas ligadas ao setor de consumo na China tenha sido mitigado pelas tensões com os Estados Unidos, foi o suficiente para impulsionar os índices asiáticos.

O índice CSI300, que engloba as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,14%. O subíndice do setor financeiro do CSI300 caiu 0,01%, o de consumo avançou 2,19%, o imobiliário subiu 1,56% e o de saúde apresentou uma alta de 1,31%.

Os setores que possuem ligação com a demanda doméstica se beneficiariam conforme o país impulsiona o mercado interno para garantir empregos este ano em meio à pandemia.

A bolsa do Japão, Nikkei 225 encerrou o pregão com uma alta de 1,73%. A bolsa de Hong Kong registrou +0,10%. Já KOSPI, da bolsa da Coreia do Sul, encerrou as negociações com uma alta de 1,24%.

O petróleo WTI subia 0,72%, sendo negociado a US$ 33,49 o barril. Por sua vez, o petróleo Brent avançava 0,09%, a US$ 35,16 o barril. Os preços da commodity operam em alta devido à expectativa de recuperação da demanda.

A apreensão pelo avanço da pandemia que impacta o planeta mantém os investidores atentos, que procuram investimentos livres de risco ou menos arriscados, como os títulos públicos norte-americanos e o dólar. Neste ano, a moeda estadunidense apresenta forte valorização frente às moedas emergentes, o que se reflete nos índices futuros mundiais.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.