Economia

Imposto de Renda: CNI pede aumento de 3 meses no prazo de entrega

0

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, pediu nessa quarta-feira (25) uma prorrogação de 3 meses no prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). O pedido foi realizado por causa dos efeitos da pandemia do coronavírus (Covid-19)

O pedido para mudar a data  entrega da declaração Imposto de Renda do dia 30 de abril para 31 de julho, foi feito através de uma carta que Braga enviou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao secretário especial da Receita Federal, José Tostes Neto.

O pedido foi motivados pela pandemia do novo coronavírus. Ainda a CNI informou que “a medida tem o objetivo, sobretudo, de evitar uma sobrecarga para as diversas categorias profissionais que vêm se dedicando a garantir o regular funcionamento de atividades essenciais para que a sociedade brasileira consiga atravessar a grave crise que enfrenta, em decorrência da pandemia da covid-19”.

Saiba mais: Imposto de Renda: confira as novas regras para declarar

Além da CNI, o Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal também apresentou um pedido de ampliação do prazo. Entretanto o sindicato pediu que a data fosse adiada apenas um mês adiante, ou seja, mudasse para o dias 31 de maio.

Contudo, o Sindicato alegou através de documento que a ampliação do prazo se faz necessária pois o isolamento social em decorrência do coronavírus pode dificultar o recolhimento dos documentos necessários para o preenchimento da declaração e o contato com os contadores.

Receita Federal recebeu 1,16% das declarações de Imposto de Renda já no primeiro dia

No começo dos mês, a Receita Federal já havia recebido cerca de 372,493 declarações do IR já no primeiro dia. No total foram 1,16% das 32 milhões esperadas para o ano de 2020.

Quem declara o Imposto de Renda no começo do prazo passa a ter prioridade para receber a restituição.

Declarar o Imposto de Renda é obrigatório para todos que apresentam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano passado, isso equivale a R$ 2.196,90 por mês, incluído o décimo terceiro. A multa dada por atraso tem o valor mínimo de R$ 165,74. O valor é estipulado em 1% ao mês até 20% do imposto devido.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Laura Moutinho
Estagiaria na Suno Notícias, escreve notícias que afetam o mercado financeiro. Estuda administração na Universidade Presbiteriana Mackenzie.