IGP-M avança 2,92% na 2ª prévia de outubro, aponta FGV

IGP-M avança 2,92% na 2ª prévia de outubro, aponta FGV
O IGP-M é usado como referência para reajustar valores de contratos imobiliários.

O Índice Geral de Preços -Mercado (IGP-M) subiu 2,92% na segunda prévia de outubro, ante 4,57% no mesmo período do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

O índice, usado no reajuste de contratos de aluguel em todo o país, acumula alta de 20,56% nos últimos 12 meses.

Em outubro, no segundo decêndio do ano passado, o índice de inflação havia registrado alta de 0,85%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Indicadores do IGP-M

O medidor (IGP-M) é composto por outros três indicadores:

  • Índice de Preços por Atacado- Mercado (IPA-M);
  • Índice de Preços ao Consumidor – Mercado (IPC-M);
  • Índice Nacional do Custo da Construção – Mercado (INCC-M).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) tem peso de 60% no IGP-M. O indicador após a taxa 6,39% no segundo decêndio de setembro caiu para 3,75% no segundo decêndio em outubro. A taxa do grupo Bens Finais variou 2,73% este mês, contra 2,89% no mês passado.

A principal contribuição para este resultado adveio do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 6,21% para 4,61%

Os seguintes itens registraram aumento no grupo:

  • soja em grão (12,53% para 12,88%)
  • cana de açúcar (0,89% para 2,61%)
  • laranja (2,76% para 9,59%)

Os seguintes itens contribuíram para o recuo da taxa do grupo:

  • minério de ferro (17,01% para -0,34%)
  • milho em grão (14,27% para 7,81%)
  • café em grão (6,74% para -8,25%)

IPC-M

Este índice tem o peso de 30% sobre o IGP-M. O indicador subiu 0,71% em outubro, contra a alta de 0,38% em maio. Cinco das oito classes de despesa componentes registraram avanço em suas taxas de variação

  • Educação, Leitura e Recreação (0,40% para 3,05%)
  • Vestuário (-0,73% para 0,40%)
  • Comunicação (0,01% para 0,06%)

Em contrapartida, os seguintes grupos apresentaram decréscimo nas taxas de variações dos seguintes grupos:

  • Transportes (0,94% para 0,01%)
  • Habitação (0,48% para 0,31%)
  • Despesas Diversas (0,29% para 0,14%)

Os seguintes itens contribuíram para o recuo da taxa do grupo:

  • passagem aérea (6,74% para 33,57%)
  • hortaliças e legumes (-4,29% para 1,09%)
  • plano e seguro de saúde (-2,40% para 0,00%)
  • roupas (-0,76% para 0,43%)
  • tarifa de telefone residencial (0,00% para 1,10%)

INCC-M

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) tem o peso de 10% no IGP-M. O medidor subiu 1,50% em outubro, ante 0,98% no mês anterior. Os três grupos pertencentes registraram as seguintes variações:

  • Materiais e Equipamento (2,52% para 3,69%)
  • Serviços (0,06% para 0,39%)
  • Mão de Obra ( 0,07% para 0,13%)

O IGP-M sofre influências das oscilações do dólar. Além disso, também tem base nas cotações internacionais de produtos primários, como commodities e metais.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião