Ibovespa tem semana em alta de 2,16% após recordes

Ibovespa tem semana em alta de 2,16% após recordes
O Ibovespa encerrou em alta, ampliando os ganhos da última terça

O Ibovespa fechou o índice semanal com variação positiva de 2,16%, a 115.121,08 pontos. Na sexta-feira (20), fechou com leve queda de 0,01%.

A variação do principal índice da bolsa de valores de São Paulo (B3) é visível pelas seguintes notícias:

    • Segunda-feira: fechou em queda de 0,3%, a 112.227,21 pontos;
    • Terça-feira: fechou em alta de 0,64% a 112.615,656 pontos;
    • Quarta-feira: fechou em alta de 1,51% e chega a 114 mil pontos;
    • Quinta-feira: fechou em alta de 0,71% e atingiu recorde de 115 mil pontos;
    • Sexta-feira: fechou em queda de 0,01% a 115.121,078 pontos.

Segunda-feira

O Ibovespa encerrou, na segunda-feira (16), em queda de 0,3%, a 112.227,21 pontos.

Saiba mais: Ibovespa fecha em queda de 0,3%, a 112.227,21 pontos

A queda do índice ocorreu em meio ao anuncio que o BNDES selecionará oito bancos para coordenar a venda de ações da Petrobras (PETR3; PETR4). Além disso, as seguintes notícias movimentaram o mercado:

  • Compra da Avon pela Natura (NATU3) é aprovada pela Comissão Europeia;
  • Suzano (SUZB3) detalha plano de investimento de R$ 4,4 bilhões para 2020;
  • Marfrig (MRFG3) diz que imposto sobre exportação na Argentina não impactará resultados.

Terça-feira

O Ibovespa fechou, na terça-feira (17), em alta. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) teve alta de 0,64% a 112.615,656 pontos.

Saiba mais: Ibovespa fecha em alta de 0,64% a 112.615,656 pontos

O índice registrou alta devido a vários fatores. Entre as notícias do dia, a CPMF pode prejudicar mercado de capitais, diz presidente da B3.

Além disso, contribuíram para o resultado desta terça:

  • Petrobras inicia fase vinculante para venda de blocos da Bacia Sergipe-Alagoas;
  • Via varejo: nova fase da investigação pode impactar no balanço do 4T;

Quarta-feira

O Ibovespa encerrou, na quarta-feira (18), em alta de 1,51%, a 114.314,65 pontos. O número representa uma nova máxima histórica.

Saiba mais: Ibovespa fecha em alta de 1,51% e chega a 114 mil pontos

O novo recorde do índice ocorreu em meio a nova fase da operação Lava Jato, que investiga a Petrobras (PETR3; PETR4). Além disso, as seguintes notícias movimentaram o mercado:

  • Vale (VALE3) e empresa chinesa anunciam parceria para novo produto de minério de ferro;
  • Klabin (KLBN11) anuncia pagamento de R$ 200 milhões em juros sobre capital próprio;
  • Volta da CPMF não está descartada, diz líder do governo no Senado.

Quinta-feira

O Ibovespa encerrou, na quinta-feira (19), em alta e atingiu pela primeira vez a casa dos 115 mil pontos. O índice acionário fechou com variação positiva de 0,71%, a 115.131,25 pontos.

Saiba mais: Ibovespa fecha em alta de 0,71% e atinge recorde de 115 mil pontos

O otimismo do mercado ocorreu em meio a informação que o acordo comercial entre Estados Unidos e China deve ser assinado em janeiro de 2020. Além disso, as seguintes notícias movimentaram o mercado e contribuíram para a alta do Ibovespa:

  • Suzano (SUZB3) anuncia investimento de R$ 933,4 mi no Espírito Santo;
  • Caged: Brasil gera 99,2 mil vagas formais em novembro;
  • Eucatex (EUCA3) opera em forte alta na bolsa, sem motivo aparente, pelo 4º dia consecutivo.

Sexta-feira

O Ibovespa fechou, na sexta-feira (20), em queda. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) teve queda de 0,01% a 115.121,078 pontos.

Saiba mais: Ibovespa fecha em queda de 0,01% a 115.121,078 pontos

O Ibovespa registrou queda devido a vários fatores. Entre as notícias do dia, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump diz que conversou com Xi Jinping sobre acordo da guerra comercial.

Além disso, foram destaques nesta sexta:

  • BNDES seleciona bancos para coordenar venda de ações da Petrobras;
  • Cade autoriza negociação entre Magazine Luiza e Estante Virtual;
  • Tupy compra empresa do grupo Fiat por cerca de R$ 1 bilhão.
Rafael Lara

Compartilhe sua opinião