Ibovespa registra queda de 0,56% acompanhando bolsas globais

Ibovespa registra queda de 0,56% acompanhando bolsas globais
O Ibovespa , que abriu em leve alta nesta quarta, inverteu para queda e opera em campo negativo.

Ibovespa encerrou o pregão desta quinta-feira (29) em queda de 0,56%, a 105.008,703 pontos, registrando um movimento parecido ao dos mercados internacionais, que estão preocupados com a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano.

O Ibovespa hoje variava negativamente 0,48% pela manhã, a 105.102,71 pontos. Segue no radar do investidor a acusação de Trump sobre uma suposta fraude na votação por correspondência, e os juros dos EUA que permaneceram em 0% a 0,25%.

Além disso, investidores ao redor do mundo estão de olho na divulgação dos resultados das empresas referentes ao segundo trimestre de 2020.

Conheça o Suno One, a central gratuita de informações da Suno para quem quer aprender a investir. Acesse clicando aqui.

No exterior, o mercado foi misto nesta quinta-feira. O S&P 500 caiu cerca de 0,38%, enquanto o Nasdaq Composite registrou uma alta de 0,43%. As ações se movimentaram depois da divulgação de uma queda de 32,9% no PIB norte-americano e um aumento nos pedidos de seguro-desemprego semanais nos EUA.

Confira as principais notícias que movimentaram o mercado nessa quinta-feira:

  • Vale (VALE3) mantém meta de produção de minério de ferro para 2020;
  • Vale retoma pagamento de dividendos após 2 anos
  • Bradesco (BBDC4) planeja fechar mais de 400 agências neste ano;
  • Ambev (ABEV3) registra queda de 51% no lucro do 2T20;
  • Pão de Açúcar (PCAR4) registra lucro líquido de R$ 333 milhões no 2T20, recuo de 20%

Notícias relacionadas à Vale movimentaram o Ibovespa hoje

A Vale (VALE3) permanecerá com a meta estipulada anteriormente em seu guidance, de 310 milhões a 330 milhões de toneladas, para a produção de minério de ferro neste ano. Diretores da empresa também disseram, em teleconferência, nesta quinta-feira (30), que possuem um “plano claro” para retomar a capacidade de produção de 400 milhões de toneladas ao ano no final de 2022.

Saiba mais: Vale (VALE3) mantém meta de produção de minério de ferro para 2020

Além disso, a Vale também anunciou que sua política de remuneração aos investidores da empresa retornará, após dois anos de ausência. O primeiro pagamento acontecerá em setembro, e será referente ao primeiro semestre deste ano. Um mês antes disso, em agosto, ocorrerá o pagamento de Juros sobre Capital Próprio (JCP) referente ao exercício de 2019.

Bradesco (BBDC4) planeja fechar mais de 400 agências neste ano

O presidente do Bradesco (BBDC4), Octávio de Lazari, afirmou nesta quinta-feira (30) que a pandemia do novo coronavírus (covid-19) reforçou o processo de digitalização do banco. Com esse cenário, segundo Lazari, o fechamento de agências físicas vai se intensificar.

Saiba mais: Bradesco (BBDC4) planeja fechar mais de 400 agências neste ano

A instituição financeira planeja encerrar a atividade de mais de 400 agências este ano. Até o momento, nos últimos 12 meses, foram 414 locais fechados. “No processo de redução de custos, o fechamento de agências físicas é um movimento que já vinha acontecendo e vai se intensificar. O gasto com segurança por agência é de R$ 10 mil por mês”, disse o presidente do Bradesco.

Ambev (ABEV3) registra queda de 51% no lucro do 2T20

A Ambev (ABEV3), subsidiária brasileira da Anheuser Busch InBev, registrou lucro líquido R$ 1,2 bilhão no segundo trimestre de 2020. Em comparação com o mesmo período no ano anterior, esse valor é correspondente a queda de 51,4%.

Saiba mais: Ambev (ABEV3) registra queda de 51% no lucro do 2T20

A receita líquida total diminuiu 10,4% no segundo trimestre deste ano, para R$ 11,6 bilhões. A receita da Ambev registrou queda no Brasil (-6,7%), na América Central e Caribe (-33,9%), na América Latina (-8,7%) e no Canadá (-3,9%). A AB InBev detém 61,9% de participação da subsidiária que está presente em 16 países nas Américas.

Pão de Açúcar (PCAR4) registra lucro líquido de R$ 333 milhões no 2T20, recuo de 20%

O Grupo Pão de Açúcar (PCAR4) apresentou, nesta quinta-feira (30), um lucro líquido consolidado de R$ 333 milhões referente ao segundo trimestre deste ano. Na comparação anualizada, o lucro caiu 20,3%, em comparação aos R$ 418 milhões registrados um ano antes.

Saiba mais: Pão de Açúcar (PCAR4) registra lucro líquido de R$ 333 milhões no 2T20, recuo de 20%

O Pão de Açúcar, no entanto, ressaltou o lucro líquido das operações em continuidade, que saiu de R$ 65 milhões para R$ 274 milhões, uma alta de 322%. A receita bruta consolidada da empresa foi de R$ 22,9 bilhões no trimestre encerrado em junho, com uma alta de 61,1% nas vendas totais e de 19,3% na visão proforma.

Confira as bolsas globais

EUA: DJIA -0,85%
Reino Unido: FTSE 100 -2,31%
Japão: Nikkei -0,26%
França: CAC 40 -2,13%

Última cotação do Ibovespa

Na última sessão, quarta-feira (29), o Ibovespa encerrou em alta de 1,44%, a 105.605,17 pontos.

Daniel Guimarães

Compartilhe sua opinião