Mercado

Ibovespa encerra em queda de -1,78% após soltura de Lula

0

O Ibovespa fechou, nesta sexta-feira (8), em baixa. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) teve queda de -1,78% a 107.628,977 pontos.

O Ibovespa registrou baixa devido a vários fatores. O principal deles, o reflexo à saída da prisão do ex-presidente da República Luis Inácio Lula da Silva nesta sexta.

Além disso, contribuíram para o resultado desta sexta:

  • Crescimento do PIB será mais lento e sadio, diz Campos Neto;
  • BRF reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 446 milhões no 3T19.

Lula

O juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, aceitou nesta sexta o pedido da defesa do ex-presidente da República Luís Inácio Lula da Silva e o autorizou a deixar a prisão.

Saiba mais: Juiz manda soltar Lula da prisão após decisão do STF

Os advogados do ex-presidente Lula pediram sua soltura após o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubar a prisão após condenação em segunda instância.

Após ter sido condenado em duas instâncias no caso do triplex no Guarujá, Lula ficou preso durante 1 ano e 7 meses na Superintendência da Polícia Federal (PF) de Curitiba. Agora, o ex-presidente terá o direito de recorrer em liberdade e só voltará a cumprir a pena de 8 anos, 10 meses e 20 dias após o trânsito em julgado.

Campos Neto

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, falou sobre o aumento da projeção do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano e afirmou que a economia brasileira deverá crescer em ritmo mais lento, mas de maneira sadia.

Saiba mais: Crescimento do PIB será mais lento e sadio, diz Campos Neto

Campos Neto participou nesta sexta (8) do encontro com as empresas italianas em São Paulo. O evento foi organizado pela Embaixada do Brasil e pelo Consulado da Itália na cidade. O presidente do BC tratou diretamente de assuntos como o PIB e o crescimento da economia do País.

“O Brasil teve anos de crescimento que pareciam bons, mas, se comparado com o resto do mundo, eram ruins. Nós estamos tentando reinventar isso, para deixar mais sustentável”, disse Campos Neto.

BRF

A BRF registrou lucro líquido de R$ 446 milhões nas operações continuadas no terceiro trimestre deste ano. O balanço foi divulgado na manhã desta sexta. O lucro líquido total societário foi de R$ 304,4 milhões. No ano anterior, no mesmo trimestre, a empresa teve prejuízo de R$ 860 milhões.

Saiba mais: BRF reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 446 milhões no 3T19

O Ebitda ajustado da BRF somou R$ 1,609 bilhão, um avanço de 178,1%. O resultado inclui ganho líquido de R$ 467 milhões referentes a ações tributárias. Caso esse ganho não seja levado em conta, o Ebitda ajustado é de R$ 1,142 bilhão.

A receita líquida foi de R$ 8,459 milhões, um crescimento de 8,4%. Somente no Brasil, a receita líquida aumento 6,3%, somando R$ 4,382 bilhões.

Última cotação do Ibovespa

Na última cessão, quinta-feira, o Ibovespa encerrou o pregão em alta de 1,13%, a 109.580,57 pontos.

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.