Mercado

Ibovespa fecha em queda de -1,09% após Fed cortar taxa de juros

0

O Ibovespa encerrou esta quarta-feira (31) em baixa e retornou momentaneamente a casa dos 100 mil pontos. A queda do índice acionário foi ampliada após o anúncio de que o Federal Reserve (Fed) cortou as taxas de juros nos Estados Unidos.

No final do pregão, o Ibovespa registrava queda de -1,09% a 101.812,13 pontos. O índice iniciou o dia operando próximo a estabilidade, com leve alta de 0,05%, alcançando 102.981,23 pontos.

O mercado está aguardando a definição das taxas básicas de juros do Brasil, que serão divulgadas às 18h desta quarta. Além disso, o IBGE divulgou a taxa de desemprego no segundo trimestre de 2019 no País.

Taxas de juros nos Estados Unidos

O Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, diminuiu a taxa de juros dos Estados Unidos pela primeira vez desde a crise econômica de 2008. Os juros agora são de 2% a 2,25% ao ano.

As implicações de desdobramentos globais para a economia e as pressões inflacionárias fracas foram apontadas como os motivos principais para o corte.

Saiba mais: Fed reduz taxa de juros em 0,25 ponto pela primeira vez desde 2008

Contudo, o Fed não pretende continuar reduzindo as taxas. “A nossa perspectiva agora não é de que este seja o início de uma série de cortes de juros”, disse o presidente do banco, Jerome Powell.

A expectativa dos investidores era de que a redução nos juros fosse maior. Além disso, a declaração de Powell de que não haverá uma série de cortes desanimou o mercado.

Copom e taxas de juros no Brasil

O Comitê de Política Monetária (Copom) definirá a taxa básica de juros do Brasil, a Selic, também nesta quarta, às 18h.

Conforme a previsão do Boletim Focus desta semana, a expectativa é de que a taxa Selic termine o ano 5,5%, ou seja, diminua um ponto percentual.

Atualmente, a taxa básica é de 6,5% ao ano. Segundo pesquisa do BC, a redução esperada para esta semana será seguida de outros cortes de 0,25 ponto percentual.

Desemprego no Brasil

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a taxa de desemprego do País recuou em 0,7% no segundo trimestre do ano ante o primeiro.

Saiba mais: Taxa de desemprego recua e Brasil registra 294 mil carteiras assinadas, diz IBGE

Nos primeiros três meses de 2019, a taxa de desemprego atingiu 12,7%. Entre abril a junho, a taxa ficou em 12%. Ao todo, foram preenchidas mais de 294 mil vagas com carteira assinada, aumento de 0,9% em comparação com o primeiro trimestre.

“O número de empregados com carteira assinada nunca cresceu tanto desde o trimestre terminado em junho de 2014. É uma variação significativa”, disse o diretor-adjunto de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo.

Última cotação do Ibovespa

Na última sessão, na terça-feira (30), o Ibovespa encerrou em queda de 0,53% a 102,932.76 pontos.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Oliveira
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.