Ibovespa cai 0,71% mas dispara em melhor trimestre desde 2003

Ibovespa cai 0,71% mas dispara em melhor trimestre desde 2003
Ibovespa sobe 1,44% acima dos 105 mil pontos com balanços e Fed

O Ibovespa encerrou o pregão desta terça-feira (30) em baixa de 0,71%, a 95.055,82 pontos, amenizando os ganhos do melhor trimestre do índice desde 2003.

O principal indicador da bolsa de valores brasileira registrou uma leve queda no último dia de junho, porém apresentou uma alta acumulada próxima de 9% no mês. No trimestre o Ibovespa subiu ainda mais, cerca de 30%.

Os bons resultados para o período são resultados do ampliação da liquidez, após várias medidas de países para combater os impactos da crise. Outro fator foi o movimento de redução da taxa básica de juros (Selic) para mínimas histórias.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

No semestre, por sua vez, o resultado foi negativo em aproximadamente 17,33%, puxado principalmente pelo desempenho de março quando os efeitos da pandemia do novo coronavírus atingiram não somente o Brasil, mas o Ocidente.

Além disso, veja quais foram as principais notícias que movimentaram o mercado de ações:

  • IRB Brasil divulga resultados do 1T20 e reapresenta balanço de 2019
  • BTG Pactual levanta R$ 2,65 bi em follow-on
  • Banco Inter anuncia aumento do capital social
  • Gol apresenta prejuízo de R$ 2,28 bi no 1T20

IRB Brasil divulga resultados do 1T20 e reapresenta balanço de 2019

O IRB Brasil RE (IRBR3) registrou um lucro líquido de R$ 13,874 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma queda de 92% em comparação aos R$ 177,9 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

O prêmio emitido no período foi de R$ 1,996 bilhão, uma alta de 13% ante o mesmo trimestre de 2019. Em prêmios ganhos, o IRB reportou R$ 1,499 bilhão nos primeiros três meses do ano. A companhia desembolsou em indenizações R$ 1,147 bilhão no primeiro trimestre deste ano.

Saiba mais: IRB (IRBR3) apresenta lucro de R$ 13,8 mi no 1T20, queda de 92%

A empresa também fez referência a irregularidades encontradas em balanços anteriores e reapresentou demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2019.

As contabilizações indevidas representaram um impacto no lucro líquido da empresa em 2019 de R$ 553,4 milhões e de R$ 117,2 milhões em 2018, segundo a empresa.

BTG Pactual levanta R$ 2,65 bi em follow-on

O BTG Pactual (BPAC11) levantou cerca de R$ 2,65 bilhões ao precificar as units em R$ 74,40 em sua oferta subsequente de ações (follow on).

Saiba mais: BTG Pactual (BPAC11) levanta R$ 2,65 bi em follow on

Segundo o banco de investimentos, os recursos levantados serão utilizados para estimular suas iniciativas estratégicas, além de expandir sua plataforma de varejo digital. Além do próprio BTG, Bradesco BBI; Itaú BBA e Santander Brasil também participaram da oferta.

Banco Inter anuncia aumento do capital social

O Banco Inter (BIDI4) informou, na noite da última segunda-feira (29), que irá aumentar seu capital social em R$ 13,82 milhões. A fintech irá emitir 1,502 milhão de novas ações; dessas, 779.201 serão ordinárias e 723.514 serão preferenciais. A adesão às ações será realizada por meio de subscrição particular.

Saiba mais: Banco Inter (BIDI4) anuncia aumento do capital social por meio de subscrições

“Será assegurado o direito de preferência na subscrição das novas ações aos acionistas que compuserem a posição acionária no banco em 3 de julho de 2020”, comunicou o banco. Os investidores poderão exercer o direito de preferência na proporção de 0,213773% sobre a posição acionária detida.

Gol apresenta prejuízo de R$ 2,28 bi no 1T20

A Gol (GOLL4) reportou um prejuízo líquido, atribuído aos sócios controladores, de R$ 2,28 bilhões no primeiro trimestre deste ano. O resultado registrado é 70 vezes maior que o prejuízo registrado no mesmo intervalo do ano passado.

Saiba mais: Gol (GOLL4) apresenta prejuízo de R$ 2,28 bi no 1T20

A receita líquida da companhia no período foi de R$ 3,14 bilhões, uma queda de 1,9% em comparação aos R$ 3,21 bilhões registrados no mesmo período de 2019.

Bolsas no exterior

  • Londres (FTSE 100): -0,90% – 6.169,74
  • Frankfurt (DAX 30): +0,64% – 12.310,93
  • Paris (CAC 40): -0,19% – 4.935,99
  • Xangai (SSEC): +0,78% – 2.984,67
  • Hong Kong (Hang Seng): +0,52% – 24.427,19
  • Tóquio (Nikkei 225): +1,33% – 22.288,14
  • Nova York (S&P 500): +1,54% – 3.100,29

Última cotação do Ibovespa

Na sessão da última segunda-feira, o Ibovespa fechou em alta de 2,03%, a 95.735,35 pontos.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião