Ibovespa sobe 1,09% com alívio nas preocupações do risco fiscal

Ibovespa sobe 1,09% com alívio nas preocupações do risco fiscal
Por volta das 12h, o Ibovespa operava em leve alta de 0,45%, alcançando 98.361,64 pontos.

O Ibovespa hoje encerrou a sessão em alta de 1,09%, cotado a 94.603,38 pontos, com a divulgação de dados econômicos positivos e o alívio nas preocupações no que diz respeito ao cenário fiscal brasileiro.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

O principal índice acionário da B3 devolveu parte das perdas registradas no mês, e especialmente nas últimas duas sessões devido às tensões com a apresentação do programa do governo federal “Renda Cidadã”. A valorização desta quarta-feira (30), dessa forma, no impediu o Ibovespa de fechar setembro com um recuo de 4,8%, marcando o pior desempenho mensal desde março.

Os investidores estiveram atentos aos dados do Ministério da Economia que divulgou os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostrando que o Brasil criou 249.388 vagas de emprego com carteira assinada em agosto desse ano.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

Além disso, o índice foi empurrado pelo ambiente externo favorável, com as bolsas de Wall Street no azul, e pela valorização das moedas emergentes de modo geral.

Em vista disso, veja as notícias que movimentaram o mercado nesta quarta-feira:

  • Castello Branco confia em decisão favorável sobre refinarias
  • S&P eleva rating do IRB Brasil para AAA, com perspectiva estável
  • Camil levantará R$ 350 mil por meio de debêntures

STF e venda das refinarias da Petrobras

O presidente da Petrobras (PETR4), Roberto Castello Branco, afirmou que está confiante quanto a uma decisão favorável à companhia no no âmbito do julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o modelo de venda das refinarias.

“Acredito que o STF fará a lei prevalecer e que a decisão de 2019 será respeitada. Não fizemos nada errado. Temos acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) [que obrigou a estatal a vender oito de suas refinarias], e o processo foi acompanhado pelo Tribunal de Contas da União (TCU)”, salientou Castello Branco.

O início do julgamento no STF deve sinalizar ao mercado a velocidade que o processo de desestatização da petroleira deve tomar, de acordo com especialistas ouvidos pelo SUNO Notícias.

S&P eleva rating do IRB Brasil

A agência de classificação de risco S&P elevou o rating do IRB Brasil (IRBR3) para “brAAA”, com perspectiva estável, em vista das recentes mudanças na direção, que “fortalecerão a governança e melhorarão a cultura de risco, embora essas mudanças sejam recentes e precisem de tempo para materializar por completo”.

“Esperamos que o novo conselho e CEO implementem mudanças para melhorar a governança e a transparência, melhorar a cultura de risco e fortalecer os controles de risco e compliance. Vemos essas mudanças como positivas, e esperamos que estabilizem as operações do IRB”, diz o relatório.

Milhões em debêntures da Camil

A Camil (CAML3) informou que seu conselho de administração aprovou a realização da 9ª emissão de debêntures da empresa. Serão levantados até R$ 350 milhões.

As debêntures serão simples, não conversíveis em ações, da espécie quirográfica, em série única, para distribuição pública com esforços restritos. O processo será intermediado pelo Itaú BBA, sob regime de garantia firme de colocação.

Maiores altas e baixas do Ibovespa

Altas:

  • CSNA3 +7,7% / R$ 16,50
  • RADL3 +6,79% / R$ 23,42
  • QUAL3 +5,13% / R$ 33,99
  • BEEF3 +4,63% / R$ 11,74
  • GOAU4 +3,75% / R$ 9,40

Baixas:

  • SUZB3 -3,23% / R$ 45,55
  • UGPA3 -2,23% / R$ 19,27
  • EQTL3 -1,99% / R$ 21,18
  • PCAR3 -1,25% / R$ 69,74
  • KLBN11 -1,12% / R$ 23,80

Bolsas no exterior

  • Nova York (S&P 500): +0,82% – 27.781,05
  • Nova York (Dow Jones): +1,20% – 27.781,05
  • Nova York (Nasdaq): +0,74% – 11.167,51
  • Frankfurt (DAX 30): -0,51% – 12.760,73
  • Reino Unido (FTSE 100): -0,53%% – 5.866,10
  • Paris (CAC 40): -0,59% – 4.803,44
  • Itália (FTSE MIB): -0,24% – 19.015,27
  • Xangai (SSEC): -0,20% – 3.218,05
  • Hong Kong (Hang Seng): +0,79% – 23.459,05
  • Japão (Nikkei 225 ): -1,50% – 23.185,12

Última cotação do Ibovespa

De forma distinta ao Ibovespa hoje, o índice acionário encerrou as negociações na última terça-feira com uma queda de 1,14%, a 93.630,508 pontos.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião