Mercado

Ibovespa fecha em alta de 1,52% a 118.478,297 pontos

0

O Ibovespa fechou, nesta sexta-feira (17), em alta. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) teve alta de 1,52% a 118.478,297 pontos.

O Ibovespa registrou alta devido a vários fatores. Entre as notícias do dia, a divulgação do PIB da China.

Além disso, contribuíram para o resultado desta sexta:

  • JBS: follow-on com ações do BNDES deve atrasar, diz jornal;
  • BR Distribuidora negocia venda de ações da Stratura para Bitumina;
  • Azul assina contrato para aquisição de 75 aeronaves da Embraer;

PIB da China

O crescimento econômico da China cresceu 6% no último trimestre do ano passado em comparação com o mesmo período do ano anterior. Dessa forma, em 2019, o Produto Interno Bruto (PIB) chinês cresceu 6,1%, nível mais baixo desde 1991. No entanto, segundo analistas, o resultado esperado era de uma desaceleração mais acentuada.

Em 2018, o crescimento anual foi de 6,6%. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (17) pelo Escritório Nacional de Estatísticas da China.

Além disso, segundo o órgão estatal, a produção industrial por valor agregado na China cresceu 6,9% em dezembro do ano passado em relação ao mesmo mês de 2018, e após uma alta de 6,2% em novembro.

E economia chinesa, que desacelerou na maior parte de 2019, manteve-se estável no fim do ano, após a trégua nas tensões da guerra comercial.

JBS

A saída do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) da JBS (JBSS3) deve atrasar. A oferta subsequente de ações (follow-on), que seria anunciada nesta semana, possivelmente não deve ser oficializada neste mês. As informações foram divulgadas pelo jornal “O Estado de S.Paulo”.

Saiba mais: JBS: follow-on com ações do BNDES deve atrasar, diz jornal

O motivo seriam os trâmites internos do banco estatal que não foram cumpridos. Inicialmente, era esperado que as ações da JBS fossem vendidas pelo BNDES em dezembro, mas também foi postergada.

Em um processo similar, no final de 2019 a instituição financeira se desfez dos papéis da Marfrig (MRFG3), captando R$ 2 bilhões no mercado secundário.

BR Distribuidora

A BR Distribuidora (BRDT3) comunicou na última quinta-feira (16) que assinou um documento com a empresa Bitumina, sede em Dubai, que estabelece exclusividade por 90 dias para negociação da venda de 100% das ações da Stratura Asfalto.

De acordo com o fato relevante da BR Distribuidora, não há data para o fechamento da operação, pois, a “questão dependerá, dentre outras condições, de as partes chegarem a um acordo com relação aos termos do SPA (contrato de compra e venda)”.

Saiba mais: BR Distribuidora negocia venda de ações da Stratura para Bitumina

O plano de vender 100% das ações, está alinhada com a iniciativa de gestão de portfólio da BR. A Stratura Asfalto é uma empresa de capital fechada, com sede em São Paulo, e atua na fabricação e distribuição de produtos para pavimentação e conservação de rodovias.

Azul

O presidente da Azul (AZUL4), John Rodgerson, anunciou, na última quinta-feira (16), que a companhia aérea assinou um contrato para a compra de 75 aeronaves da Embraer.

Saiba mais: Azul assina contrato para aquisição de 75 aeronaves da Embraer

As afirmações sobre aquisições de aviões, objetivo de 200 destinos e voos diários para Nova York, fizeram os papéis preferenciais da Azul reverterem de negativo, na maior parte do dia, para positivo de 0,24% no encerramento do pregão da última quinta, cotados a R$ 59,44.

Última cotação do Ibovespa

Na última sessão, quinta-feira, o Ibovespa encerrou em alta de 0,25%, a 116.704,21 pontos.

Telegram Suno

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.