Ibovespa encerra em queda de 1,32%, cotado a 96.990,719 pontos

Ibovespa encerra em queda de 1,32%, cotado a 96.990,719 pontos
Ibovespa encerra em queda de 1,32%, cotado a 96.990,719 pontos

O Ibovespa hoje encerrou o pregão em queda de 1,32%, cotado a 96.990,719 pontos, acompanhando a piora nas bolsas dos Estados Unidos e ao redor do mundo.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

O Ibovespa, principal índice acionário da bolsa brasileira, acentuou as perdas seguindo os mercados dos EUA, como o Nasdaq, Dow Jones e S&P 500 que registraram quedas de 0,13%, 1,84% e 1,16%, respectivamente.

Outros índices no exterior não tiveram resultados diferentes, com os números de infecções aumentando novamente na Europa devido a pandemia do coronavírus (Covid-19). O índice de Londres, FTSE 100 registrou queda de 3,38% e o CAC 40, de Paris, de 3,74%.

Conheça o Suno One, a central gratuita de informações da Suno para quem quer aprender a investir. Acesse clicando aqui.

Com isso, confira as principais notícias que movimentaram o mercado acionário nesta segunda:

  • Petrobras (PETR4): três grupos disputam refinaria no PR, diz jornal
  • CSN (CSNA3) aprova IPO da Mineração e atualiza projeções
  • Alpargatas (ALPA4) se desfaz de parceria com a Mizuno por R$ 200 milhões

Petrobras:

Atentas aos desdobramentos do julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o pedido de suspensão da venda das refinarias da Petrobras (PETR4), três companhias apresentaram propostas pela Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná. De acordo com o jornal “Valor Econômico”, as propostas foram próximas, fazendo com que a estatal abrisse uma nova rodada de negociações com as interessadas.

Segundo o jornal, dentre as concorrentes estão tanto empresas brasileiras como estrangeiras. O grupo indiano Essar é apontado pelo mercado como um candidato a comprar uma das refinarias da Petrobras. O Grupo Ultra, controlador do Ipiranga, Raízen (da Shell e Cosan) e a chinesa Sinopec estão de olho nos desinvestimentos da petroleira há algum tempo.

Saiba Mais: Petrobras (PETR4): três grupos disputam refinaria no PR, diz jornal

O processo está condicionado à decisão do STF, que iniciou o julgamento sobre a venda das refinarias na última sexta-feira (18), com o relator, ministro Edson Fachin, dando um voto contrário à Petrobras. Em junho de 2019, o plenário da Corte estipulou que as privatizações “empresas-mãe” (controladoras e holdings) só seriam desestatizadas após deliberação do Congresso Nacional, mas o mesmo não envolve subsidiárias.

CSN:

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) atualizou o plano de negócios da CSN Mineração, sua controlada, e para viabilizar os investimentos na expansão da unidade, autorizou seus diretores a tomarem as medidas necessárias para a realização de uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da subsidiária.

De acordo com atualização do plano de negócios da empresa enviada na manhã desta segunda-feira(21) à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a CSN decidiu pelo IPO da unidade de mineração “à luz das condições favoráveis e perspectivas positivas do mercado de minério de ferro”. Além disso, a companhia afirma que a oferta traria recursos necessários para acelerar o crescimento orgânico da mina de Casa de Pedra.

Saiba Mais: CSN (CSNA3) aprova IPO da Mineração e atualiza projeções

A CSN estima que, com os projetos de expansão que pretende implementar, a capacidade de produção anual de minério de ferro em sua unidade de mineração chegará a 108 milhões de toneladas no ano de 2033. Em 2019, a capacidade estava em 33 milhões de toneladas. O teor de ferro do minério entregue também deve aumentar, dos atuais 62% para 67%.

Alpargatas:

A Alpargatas, dona da Havaianas, deixou de ser parceira da Mizuno após 23 anos junto a marca. A Mizuno anunciou que sua parceira nova no Brasil passou a ser a Vulcabrás Azaléia (VULC3), que está aumentado a sua presença no setor de esportes. A Alpargatas comunicou que a negociação ficou em aproximadamente R$ 200 milhões. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo”.

A Vulcabrás já possui algumas outras marcas do setor como a Olympikus e a Under Armour. No ano passado, a Mizuno, nova parceira da empresa, faturou R$ 444 milhões no Brasil, segundo informações da Vulcabrás.

Saiba Mais: Alpargatas (ALPA4) se desfaz de parceria com a Mizuno por R$ 200 milhões

A empresa destacou que a negociação não inclui fábricas. A Alpargatas também salientou que suas unidades com operações voltadas à Mizuno serão remodeladas para produzir Havaianas. A Vulcabrás produzirá Mizuno em suas próprias unidades.

Maiores altas e baixas do Ibovespa

Maiores altas:

BTOW3 +4,01% / R$ 97,97
SULA11  +2,86% / R$ 40,98
WEGE3 +2,27% / R$ 63,40
MGLU3 +1,77% / R$ 88,70
BRKM5 +1,47% / R$ 22,13

Maiores baixas:

GOLL4 -8,46% / R$ 18,40
AZUL4 -7,8% / R$ 26,00
EMBR3 -4,79% / R$ 6,36
ECOR3 -4,54% / R$ 12,40
IGTA3 -4,51% / R$ 33,85

Bolsas no exterior

  • Nova York (S&P 500): -1,16% – 3.281,06
  • Londres (FTSE 100): – 3,38%% – 5.804,29
  • Frankfurt (DAX 30): – 4,37% – 12.542,44
  • Paris (CAC 40): – 3,74% – 4.792,04
  • Xangai (SSEC): -0,63% – 3.316,94
  • Hong Kong (Hang Seng): -2,06% – 23.950,69

Última cotação do Ibovespa

Da mesma forma que o Ibovespa hoje, o índice acionário encerrou as negociações na última sexta-feira (18) com uma queda de 1,81%, a 98.289,71 pontos.

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião