Ibovespa abre em queda de 0,7%; aumento do desemprego no radar

Ibovespa abre em queda de 0,7%; aumento do desemprego no radar
Futuros de NY operam em leve alta; Europa entre ganhos e perdas

O Ibovespa abriu em queda nesta terça-feira (30), logo após a divulgação do aumento do desemprego no Brasil, indo para 12,9% no trimestre encerrado em maio.

Por volta das 10h20, o Ibovespa variava negativamente 0,73%, a 95.040,30 pontos. O mercado segue atento aos esforços de todo o mundo no combate à pandemia. No entanto, a OMS permanece cautelosa com os possíveis desdobramentos do vírus.

Além disso, os investidores continuam de olho nas apresentações dos resultados trimestrais das companhias listadas na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) e no noticiário corporativo.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Desemprego aumenta

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira, o desemprego atingia 12,7 milhões de pessoas no trimestre encerrado em maio. A taxa de desocupação era de 12,9%.

A taxa de desemprego no período subiu 1,2 ponto percentual em relação ao trimestre anterior. Além disso, segundo o IBGE, o percentual de pessoas ocupadas na população — com idade para trabalhar — ficou em 49,5% no trimestre encerrado em maio. O resultado equivale a uma queda de cinco pontos percentuais em comparação aos três meses encerrados em fevereiro.

A taxa de informalidade caiu de 40,6%, no trimestre encerrado em fevereiro, para 37,6% em maio, a menor desde 2016, quando o indicador passou a ser acompanhado. Para Adriana Beringuy, analista da pesquisa do Instituto, numericamente houve uma queda na informalidade, “mais isso não necessariamente é um bom sinal”.

“Significa que essas pessoas estão perdendo ocupação e não estão se inserindo em outro emprego. Estão ficando fora da força de trabalho”, disse a pesquisadora.

Combate ao coronavírus

A vacina contra o novo coronavírus (covid-19) desenvolvida pela Universidade de Oxford, em parceria de testes no Brasil, poderá ficar disponível ainda em 2020, segundo a diretora-médica, Maria Augusta Bernardini, do grupo farmacêutico Astrazeneca.

“Esperamos ter dados preliminares quanto a eficácia real já disponíveis em torno de outubro, novembro. Vamos sim analisar, em conjunto com as entidades regulatórias mundiais, se podemos ter uma autorização de registro em caráter de exceção”, disse a executiva.

Ibovespa: o índice brasileiro precisa ser reformulado?

“Um registro condicionado, para que a gente possa disponibilizar à população [a vacina contra o coronavírus] antes de ter uma finalização completa dos estudos”, salientou Bernardini.

No último sábado (27), o governo federal anunciou que aceitou a proposta de cooperação de Oxford e da AstraZeneca para o desenvolvimento tecnológico e acesso do Brasil a vacina contra a covid-19. Dessa forma, a União se comprometeu a investir US$ 127 milhões (cerca de R$ 694 milhões) na compra de vacinas em teste.

Em entrevista coletiva em Genebra, na Suíça, na última segunda-feira (29), o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreysus, disse que “o pior ainda está por vir”. Segundo a universidade norte-americana John Hopkins, a doença já atingiu 10,4 milhões de pessoas em todo o mundo, matando 509,5 mil.

Noticiário corporativo

IRB Brasil

A IRB Brasil (IRBR3) apresentou um lucro líquido de R$ 13,874 milhões no primeiro trimestre deste ano. O valor representa uma queda de 92% em comparação aos R$ 177,9 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

No trimestre encerrado em março, o prêmio emitido do ressegurador foi de R$ 1,996 bilhão, uma alta de 13% ante o mesmo trimestre de 2019. Em prêmios ganhos, o IRB registrou R$ 1,499 bilhão nos primeiros três meses do ano. No mesmo período do ano passado, o valor obtido foi de R$ 1,241 bilhão.

Tupy

A Tupy (TUPY3) divulgou, na última segunda, um prejuízo líquido de R$ 207,5 milhões referente ao primeiro trimestre deste ano.Vale destacar que no mesmo período do ano passado, a companhia obteve lucro líquido igual a R$ 80,4 milhões.

De acordo com o relatório da Tupy, o montante foi afetado por um “impairment de ativos intangíveis no México, decorrente da queda do volume de algumas carteiras e visibilidade limitada dos efeitos da Covid-19, com impacto de R$34,4 milhões, sem efeito caixa”.

Banco Inter

O Banco Inter (BIDI4) informou, na noite da última segunda, que irá aumentar seu capital social em R$ 13,82 milhões. A medida foi aprovada por seu Conselho de Administração.

Saiba mais: Segundo Campos Neto, um eventual ajuste na Selic ‘será residual’

Segundo o aviso aos acionistas, o Banco Inter irá emitir 1,502 milhão de novas ações; dessas, 779.201 serão ordinárias e 723.514 serão preferenciais. A adesão às ações será realizada por meio de subscrição particular.

O Banco informou que o período de subscrição é de 9 de julho a 7 de agosto; os recibos de subscrição serão negociáveis a partir de 21 de agosto.

Maiores altas e baixas do Ibovespa

Confira algumas das maiores altas e baixas das ações do Ibovespa por volta das 10h35.

Bolsas no exterior

Além do Ibovespa, confira o desempenho dos principais índices acionários no exterior.

  • Londres (FTSE 100): -1,19%
  • Frankfurt (DAX 30): -0,008%
  • Paris (CAC 40): -0,42%
  • Milão (FTSE/MIB): -0,81%
  • Xangai (SSEC): +0,78% (fechada)
  • Tóquio (Nikkei 225): +1,33% (fechada)
  • Nova York (S&P 500) futuro: -0,35%
Bolsas mundiais caminham para o trimestre mais positivo em 11 anos. Fonte: Bloomberg

Última cotação

Na sessão da última segunda-feira, o Ibovespa fechou em alta de 2,03%, a 95.735,35 pontos.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião