Mercado

Ibovespa inicia esta quarta-feira retomando os 100 mil pontos devido a reforma da Previdência

0

O Ibovespa abre esta quarta-feira (9) em alta com reforma da Previdência, trégua na guerra comercial e deflação em setembro.

Por volta das 10h40, o Ibovespa registrava uma variação positiva de 0,58%, retomando os 100 mil pontos, chegando a 100.562,61. O mercado está atento a acordo do megaleilão do pré-sal que pode destravar a reforma da Previdência.

Além disso, os investidores estão monitorando o possível sinal de acordo comercial entre EUA-China e o IPCA de setembro.

Reforma da Previdência deve ser votada no Senado

O Congresso brasileiro chegou a um acordo para a distribuição dos R$ 106,5 bilhões do megaleilão do pré-sal, que ocorrerá em novembro. A divisão ficou da seguinte forma:

  • 15% aos municípios
  • 15% aos estados (10% ao FPE e 5% aos estados produtores da commodity)

Passado este assunto, a reforma da Previdência deverá ser votada em segundo turno no plenário do Senado.

Na última terça-feira (8), o relator da proposta da nova Previdência no Senado Federal, Tasso Jereissati (PSDB-CE), informou que deseja concluir a votação da reforma no próximo dia 22.

O acordo sobre a distribuição de recursos do leilão do petróleo para Estados e municípios estavam, de acordo com o Jereissati, travando a tramitação da Previdência.

Possibilidade de acordo comercial

As bolsas internacionais estão atentas ao desdobramento da guerra comercial às vésperas das reuniões previstas para inciarem na próxima quinta-feira (10).

Segundo o jornal americano “CNBC”, os negociadores de Pequim, ainda que indispostos a garantir um amplo acordo comercial, estão otimistas a fechar um acerto parcial.

Saiba Mais: FMI: Cerca de 90% dos países terão desaceleração econômica em 2019

O jornal estadunidense, Finacial Times, informou que a China poderia ampliar até US$ 10 bilhões em compras de produtos agrícolas, para tentar chegar a um acordo com os EUA.

Uma das condições exigidas pelo país oriental é que não sejam mais impostas novas tarifas pelo governo do presidente norte-americano Donald Trump este mês e em dezembro.

Deflação no mês de setembro

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação no mês de setembro regrediu 0,04%. Essa é a menor taxa para o mês desde 1998.

A queda do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi puxada pela retração dos preços nas bebidas e alimentos. Além disso, a pesquisa traz a inflação de 2,89% nos últimos 12 meses, abaixo do reportado nos 12 meses anteriores.

Saiba mais: Senadores dos EUA querem investigação sobre aquisições da JBS

O acumulado está dentro da meta de inflação do governo para este ano. Economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) estimam que a inflação terminará o ano com uma taxa de 3,42%.

Última cotação do Ibovespa

Na última sessão, terça-feira (8), o Ibovespa encerrou pela primeira vez abaixo dos 100 mil pontos desde o início de setembro, chegando a 99.981 pontos.

Compartilhe a sua opinião

Jader Lazarini
Jader Lazarini escreve sobre mercado financeiro, política e economia para o portal de notícias da Suno Research. Anteriormente, trabalhou na Unidas. Estuda Relações Internacionais na Universidade Anhembi Morumbi.