Mercado

Ibovespa abre em alta com expectativa de estímulos fiscais na China

0

O Ibovespa abriu em alta nesta segunda-feira (9), impulsionado pelo resultado das bolsas internacionais, que registaram resultados positivos graças as notícias vindo da China.

O Ibovespa subia de +0,23% as 10h08, a 103.170 pontos. Contribuiu para o resultado desta segunda do principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) a expectativa dos investidores de que a China poderia atuar um programa de estímulo fiscal, por causa dos dados negativos registrados recentemente por sua economia.

Também contribuíram para a abertura do Ibovespa as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre as privatizações.

Boletim Focus

Os economistas entrevistados pelo Banco Central (BC) no Boletim Focus mantiveram a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019. Segundo o Boletim divulgado nesta segunda-feira (2), a economia brasileira deverá crescer 0,87% esse ano.

A previsão de crescimento da economia brasileira para 2020 passou de 2,10% para 2,07%. Uma estimativa próxima à projeção oficial do Banco Central e também do ministério da Economia.

Saiba mais: Boletim Focus confirma previsão de crescimento do PIB em 2019

Para 2021 e 2022 as previsões do Produto Interno Bruto foram mantidas em 2,50%.

Privatizações segundo Paulo Guedes

Em entrevista ao jornal “Valor Econômico”, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que irá propor a privatização de todas as empresas estatais. Entretanto, o titular da pasta econômica salientou como a decisão final é do Congresso Nacional.

Saiba mais: Paulo Guedes pretende propor a privatização todas as estatais, afirma jornal 

“A minha obrigação é fazer o diagnóstico e entregar a prescrição. O Congresso vai decidir”, afirmou o ministro.

Segundo Guedes, o presidente Jair Bolsonaro apoia integralmente as privatizações.

“Todos os dias ele cobra: ‘Poxa Salim [Salim Mattar, secretário de Desestatização e Desinvestimento], tem que vender uma por semana, está demorando muito”, salientou Guedes.

Planejamento da Petrobras

Concentrada em diminuir sua alavancagem financeira, a Petrobras não pretende investir em projetos de fontes limpas, no que diz respeito ao aspecto comercial.

A estratégia da companhia estatal vai em desencontro a de outras gigantes petroleiras. As empresas europeias estão procurando diversificar o seu portfólio, reduzindo a produção de carbono.

“Estamos investindo em pesquisa apenas. Não vamos investir em operações que requerem competências diferentes do negócio de petróleo e gás. Primeiro, se formos entrar nesse jogo, nós temos que entrar para ganhar”, disse o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

Impactos na China

As exportações chinesas no mês de agosto recuaram 1%, frente a uma expectativa de alta de 2%, segundo analistas afirmaram à Reuters.

As vendas aos EUA retraíram 16% na comparação com o mesmo período no ano passado, refletindo os impactos reais dos tarifas impostos durante os desdobramentos da guerra comercial. Já as importações recuaram 22,4%.

De acordo com a CNBC, a estimativa é de que os resultados comerciais possam levar o governos a implementar mais medidas de estímulo para sustentar o crescimento econômico. As bolsas na Ásia fecharam majoritariamente em alta.

Última cotação do Ibovespa

Na última sessão da sexta-feira (6), o Ibovespa encerrou o pregão em alta de +0,68% a 102.935,430 pontos

Compartilhe a sua opinião

Carlo Cauti
Editor-chefe da SUNO Notícias. Formado em Ciências Políticas pela universidade LUISS G. Carli de Roma e mestre cum laude em Relações Internacionais, Jornalismo Internacional e de Guerra e em Economia Internacional. No Brasil, teve passagem por veículos de comunicação como O Estado de S.Paulo, G1, Veja e EXAME. Também trabalhou nas agências de notícias italianas ANSA e NOVA.