Huawei lança smartphone 5G mesmo sob pressão dos EUA

Huawei lança smartphone 5G mesmo sob pressão dos EUA
Huawei não poderá contar com aplicativos do Google.

A Huawei fará um evento nesta sexta-feira (26), na China, para apresentar o primeiro smartphone da empresa que poderá operar com a rede 5G, a tecnologia mais nova para internet móvel de celular.

O aparelho da Huawei deve estar nas lojas da China no mês de agosto. O nome do smartphone é Mate 20x5G. A expectativa é que o governo chinês também comunique os planos para a inauguração da rede 5G no país. A tecnologia deve chegar em cidades como Xangai, Shenzhen e Pequim, antes das outras, por serem polos mais desenvolvidos.

A China ainda não sabe o que será feito sobre as vendas do aparelho 5G fora de seu país. Isso porque os EUA colocou a empresa em sua lista negra.

Segundo a “Bloomberg”, mesmo com as sanções feitas pelos EUA, a gigante chinesa obteve alta de 30% neste primeiro semestre. Entretanto, os resultados reais serão divulgados apenas no dia 30 deste mês.

No dia 22 de julho, Donald Trump teve uma reunião com líderes de empresas de tecnologia, como:

  • Google
  • Qualcomm
  • Cisco
  • Intel
  • Micron
  • Western Digital
  • Broadcom

O objetivo do compromisso foi discutir a segurança nacional e a utilização de tecnologias provindas da China.

Confira também: Alphabet, dona do Google, registra lucro líquido de US$ 9,9 bi no 2ºT19 

Huawei sob pressão dos EUA

A empresa chinesa se encontra sob pressão do governo norte-americano, já que Trump acusou a companhia de espionagem. A Huawei nega, desde o início, as acusações de Trump.

No mês de maio, o presidente Donald Trump afirmou que empresas dos Estados Unidos estavam proibidas de usarem equipamentos de telecomunicação de empresas que seu governo considerasse uma ameaça a segurança do país.

Nokia cresce por questões de segurança relacionadas a chinesa

A empresa de telecomunicação finlandesa comunicou na última quinta-feira (25) que suas vendas tiveram uma alta de 7% no segundo trimestre deste ano. O esperado para o período era uma receita de 5,4 bilhões de euros, mas a companhia faturou 5,7 bilhões.

Além disso, a Nokia disse que detém 45 acordos comerciais relacionados a sua rede 5G. Dos 45, nove já estão em operação. O sucesso da fabricante de equipamentos de telecomunicações tem impacto sobre a Huawei e também é influenciado pela chinesa.

“Alguns clientes estão reavaliando seus fornecedores devido a preocupações de segurança. Há alguns países que baniram concorrentes chineses e, é claro, isso cria uma oportunidade para nós”, disse o presidente da Nokia, Tommi Uitto, em entrevista a “CNN”.

Um dos maiores contratos de rede 5G feitos pela Nokia até hoje, é o acordo com a empresa T-Mobile, dos Estados Unidos. Uma decisão definitiva dos EUA sobre a Huawei ainda é esperada por ambas empresas.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião