Negócios

Huawei acusa FedEx de desviar documentos importantes aos EUA

0

A líder em 5G, Huawei, acusa a companhia de entrega, FedEx, de desviar pacotes aos Estados Unidos. Atualmente, a empresa chinesa está revisando sua relação com a empresa americana devido as tensões comerciais.

De acordo com a “Reuters”, a Huawei alega que a FedEx desviou dois pacotes enviados do Japão para a matriz na China, em direção aos EUA. Além disso, a empresa chinesa afirma que houve tentativa de alteração da rota de dois pacotes do Vietnã para China.

Confiança enfraquecida

O porta-voz da Huawei, Joe Kelly, disse que não havia nenhum “tipo de tecnologia” dentro dos pacotes, apenas documentos comerciais.

“A nossa confiança está enfraquecida devido as recentes experiências em que importantes documentos comerciais enviados ao FedEx não foram entregues ao seu destino. Em vez disso, foram desviado ou solicitados a serem desviados para os Estados Unidos“, disse Kelly.

“Agora temos que rever nossos requisitos de logística e suporte de entrega de documentos como resultado direto desses incidentes”, completa.

Saiba Mais: Guerra comercial: CEO da Huawei diz que China não deve retaliar Apple

Já a FedEx afirma que o desvio aos EUA foi um “erro” e deverá ser tratado como um caso isolado. A empresa alega que não sofreu pressões externas e o que aconteceu foi que os documentos seguiram com destino ao escritório da Huawei localizado no Tennesse, EUA.

A Huawei reclamou ao serviço de postal da China e o caso será investigado.

Huawei x Estados Unidos

Na última terça-feira (21) a Huawei, afirmou ser vítima dos EUA. Além disso a empresa disse que está trabalhando juntamente com o Google com o objetivo de combater as restrições comerciais.

Na quarta-feira dia 15,  Trump anunciou que a Huawei entrou para “lista negra”. Ademais, proibiu a empresa de comprar produtos americanos. De acordo com o governo essa medida foi imposta por conta do envolvimento da companhia em atividades contrárias à segurança nacional.

Saiba Mais: Huawei tornará público os processos contra sanções dos Estados Unidos

Já na última segunda-feira (20) o Departamento de Comércio dos Estados Unidos garantiu uma licença temporária, com validade até agosto deste ano, para a que a empresa possa fazer a atualização de sistemas e aparelhos.

O fundador da Huawei, Ren Zhengfei, disse que “os políticos americanos, com sua atual forma de agir, demonstram que subestimam nossa força.”

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.