Subsidiárias de Hidrovias do Brasil (HBSA3) e Vale (VALE3) fecham acordo por 25 anos

Subsidiárias de Hidrovias do Brasil (HBSA3) e Vale (VALE3) fecham acordo por 25 anos
A Hidrovias do Brasil (HBAS3) informou que sua subsidiária fechou um acordo de 25 anos para a prestação de serviços à Vale.

A Hidrovias do Brasil (HBAS3) informou, na noite da última terça-feira (13), que sua subsidiária Girocantex fechou um acordo com a Mineração Corumbaense Reunida, subsidiária da Vale (VALE3), para a prestação de serviços pelo período de 25 anos. As informações foram reveladas por meio de um comunicado ao mercado.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Segundo a Hidrovias do Brasil, a subsidiária recebeu a comunicação da subsidiária da Vale informando que, para o ano que vem, irá movimentar o volume máximo previsto em contrato. Dessa forma, a companhia deverá dedicar oito comboios para a prestação dos serviços objeto do contrato — neste ano, dois comboios foram indicados para a prestação dos serviços entre as empresas.

“O contrato, celebrado na modalidade take or pay, tem como objeto a prestação de serviços de transporte de até 3.250 mil toneladas de minério de ferro por ano na Hidrovia Paraguai-Paraná, pelo período de 25 anos”, informou a companhia, recém chegada à Bolsa de Valores de São Paulo (B3).

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Hidrovias do Brasil levanta R$ 3,4 bilhões com IPO

A Hidrovias do Brasil levantou R$ 3,4 bilhões em sua oferta pública inicial de ações (IPO) realizada no fim do mês passado. A companhia tem como acionistas os fundos de private equity administrados pelo Patria Investimentos, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a International Finance Corporation do Banco Mundial.

O negócio da empresa é focado em serviços de logística hidroviária integrada, armazenamento e serviços relacionados, com contratos take or pay de longo prazo, assim como contratos anuais, através de uma base de ativos incluindo serviços de transbordo e terminais portuários e própria frota de barcaças, empurradores e navios de cabotagem.

Em 2019, a Hidrovias do Brasil registrou um lucro líquido de R$ 58,609 milhões, frente a um resultado positivo de R$ 162,116 milhões obtido no ano anterior. Na mesma base comparativa, a dívida líquida da empresa saiu de um patamar de R$ 1,852 bilhão, em 2018, para R$ 2,031 bilhões no ano seguinte.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião