Havan desiste definitivamente de abertura de capital na B3

Havan desiste definitivamente de abertura de capital na B3
A Havan havia anunciado sua intenção de abrir capital na B3 em agosto

A empresa do setor varejista Havan desistiu de sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), de acordo com dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgados nesta terça-feira (27).

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Com a oferta anunciada em agosto, Luciano Hang planejava vender uma fatia de sua rede de lojas. Além disso, a companhia tinha como objetivo utilizar os recursos líquidos obtidos através da oferta primária (considerando as ações adicionais e ações suplementares) em investimentos na expansão de lojas e do centro de distribuição, além da abertura de novas lojas e incremento do suporte do crescimento orgânico. Ademais, a Havan iria realizar aportes na área de tecnologia e reforçar o capital de giro.

A expectativa da companhia era estrear na Bolsa com um valor de mercado próxima a R$ 70 bilhões.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Vale lembrar que no início deste mês, os bancos coordenadores já haviam recomendado que a companhia não finalizasse a operação nesta janela, devido a  alta volatilidade do mercado de ações.

Havan decide suspender abertura de capital

A companhia havia desistido de sua oferta pública inicial de ações na B3 no início desse mês. A rede varejista tinha como intuito fazer sua estreia avaliada em cerca de R$ 70 bilhões. O mercado, entretanto, diminuiu esta avaliação e ficou disposto a pagar entre R$ 50 bilhões e R$ 60 bilhões.

Pouco antes do anúncio,  a agência “Bloomberg” informou que a Havan não precisaria de dinheiro imediatamente e poderia esperar até que as condições de mercado melhorassem para realizar sua oferta de ações.

O acionista controlador e sócio fundador da Havan, Luciano Hang, ainda de acordo com a agência de notícias, teria sido aconselhado pelos assessores financeiros a adiar a oferta pública inicial de ações (IPO, sigla em inglês) da empresa. Segundo os assessores, essa medida foi tomada por conta do momento conturbado do mercado.

Fontes próximas a operação chegaram a dizer que a Havan entraria na bolsa com valor de mercado estipulado em R$ 100 bilhões.

Com informações do Estadão Conteúdo

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião