Internacional

Guerra comercial: China sinaliza acordo parcial com EUA

0

O governo da China comunicou que está disposto a realizar um acordo parcial com os Estados Unidos para encerrar a guerra comercial. A informação foi divulgada pela agência de notícias “Bloomberg”, nesta quarta-feira (09).

Nesta quarta, o presidente norte-americano, Donald Trump, deu uma declaração favorável ao acordo em mais um episódio da guerra comercial.

Em Washington, Trump disse à jornalistas que: “Se pudermos fazer um acordo, faremos um acordo, há uma chance muito boa.”

No entanto, o país asiático ressaltou que para que ocorra, o governo norte-americano deve suspender o plano de aplicar novas tarifas comerciais contra produtos da China.

De acordo com as fontes da “Bloomberg”, o objetivo é reduzir os impactos que as tarifas norte-americanas estão causando no desenvolvimento econômico da China. E, em troca, Pequim ofereceria concessões, como por exemplo, a compra de mais produtos agrícolas, mas com ressalvas à outros pontos importantes.

Na próxima quinta-feira (10), EUA e China voltarão a conversar sobre negociações comerciais. A conversa deve durar até sexta-feira (11).

Guerra comercial

Após o presidente americano Donald Trump conceder isenções de tarifas alfandegarias sobre os produtos chineses, a China informou, no dia 27 de setembro, que está disposta a comprar mais mercadorias americanas.

De acordo com o assessor de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, o governo Trump demonstrou “boa vontade”. “Então, do lado chinês, estamos dispostos a comprar mais produtos dos EUA que são necessários ao mercado chinês”, disse Yi durante a Assembleia da ONU.

Saiba mais: China está disposta a comprar mais produtos americanos, diz ministro chinês

Além disso, o ministro informou que o acordo comercial entre as duas maiores economias do mundo avançará se “tomarem medidas mais entusiasmadas”.

“Esperamos que ambos os lados possam tomar medidas mais entusiasmadas e reduzir a linguagem e as ações pessimistas. Se todos fizerem isso, as negociações não apenas serão retomadas, mas também vão prosseguir e gerar resultados”, salientou o ministro.

Trump adia elevação de tarifas

O presidente Donald Trump informou no dia 11 de setembro que a elevação das tarifas sobre US$ 250 bilhões em importações de produtos da China foram adiadas por duas semanas.

Confira Também: EUA: Departamento do Comércio assegura crescimento do PIB em 2% no 2º tri

A elevação de tarifas estava marcada para o dia 1° de outubro, porém, em sua conta no Twitter, Trump informou que as taxas subirão de 25% para 30% no dia 15 de outubro. De acordo com o presidente, trata-se de um “gesto de boa vontade”, fazendo menção a retirada de tarifas da China sobre produtos americanos durante a guerra comercial.

Compartilhe a sua opinião

Rafael Lara
Rafael Lara cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Escreve sobre política, economia e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na TV Gazeta na produção do programa Edição Extra.