Negócios

Grupo SBF, dono da rede Centauro, planeja fazer sua abertura de capital

0

O Grupo SBF, dono da rede Centauro, planeja abrir capital com listagem de ações (IPO, Initial Public Offering, em inglês) na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo.

A companhia controladora da Centauro pediu registro de companhia aberta e autorização para realizar uma oferta inicial de ações à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os dados foram disponibilizados nesta segunda (18) pela comissão. A abertura de capital vai ser coordenada por Bradesco BBI, Itaú BBA, BTG Pactual, Goldman Sachs, BB Investimentos e Credit Suisse.

Saiba mais: IPO da CP Investimentos não sai este ano; operação seria de R$ 50 bi

Saiba mais: Warren Buffett negocia compra de parte relevante de ações do IRB

O SBF diz, na minuta de prospecto preliminar, que vai usar os recursos da operação para abertura de novas unidades e reformas. Além disso, os aportes serão direcionados para reforçar capital de giro, pagamento de dívidas e outros investimentos.

O grupo já havia submetido um pedido de abertura de capital à CVM, mas a petição foi recusada em junho passado por não conter todas as exigências. À época, a companhia tinha como sócia a Naomi Participações, do grupo GP Investiments.

Saiba mais: Dona da Levi’s, Levi Strauss registra pedido de IPO na Bolsa de Nova York

Saiba mais: Ibovespa opera em queda aguardando desfecho de crise no governo

O IPO

No âmbito do mercado de capitais, o IPO é um processo bastante significativo. A operação é, de maneira direta, o procedimento pelo qual uma empresa deixa de ser de capital fechado – ou seja, quando ela lista suas ações para o público. Feito isso, qualquer um pode se tornar sócio, ou dono de um pedaço da companhia, bastando comprar suas ações na Bolsa de Valores.

Oferta de ações primária:

O IPO é, na maioria das vezes, uma oferta de Mercado Primário, processo através do qual, numa oferta pública, são vendidas ao mercado ações desta empresa pela primeira vez.

Desta forma, a oferta gera caixa para essa companhia. E a empresa usa esse dinheiro para realizar investimentos e executar o seu plano operacional.

Oferta de ações secundária:

Em paralelo, existe também o Mercado Secundário, que é quando não são emitidas novas ações. Neste caso, ocorre a venda de ações por parte de acionistasexistentes.

Esse processo normalmente ocorre após a oferta pública inicial, mas também pode acontecer durante a operação. O mercado secundário se faz presente quando as ações são negociadas livremente entre os investidores na Bolsa de Valores. Portanto, esse procedimento não gera caixa para a empresa.

Compartilhe a sua opinião

Guilherme Caetano
Formado em jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP, Guilherme Caetano escreve para o portal de notícias da Suno Research. Passou pelas redações da Folha de S.Paulo e da revista Época.