Exclusivo: Grow enfrenta crise no comando e perde investimento do SoftBank

Exclusivo: Grow enfrenta crise no comando e perde investimento do SoftBank
Exclusivo: Grow enfrenta crise no comando e afasta SoftBank

Uma crise no comando da Grow Mobility, a startup de mobilidade dona da marca de patinetes Grin, fez com que a companhia perdesse dezenas de funcionários e deixasse de receber um investimento milionário do SoftBank.

De acordo com fontes ouvidas pelo SUNO Notícias, a Grow estaria em tratativas finais para receber um aporte de até US$ 150 milhões dos japoneses do SoftBank no segundo semestre de 2019. O investimento, no entanto, não ocorreu devido a uma disputa pela gestão da empresa envolvendo o CEO, Sergio Romo, e o fundador e vice-presidente global de produtos, Ariel Lambrecht.

Lambrecht, que também fundou a 99 – vendida para a chinesa Didi Chuxing em janeiro de 2018 -, é oriundo da Yellow, enquanto Romo veio da Grin, do México. As empresas se uniram no início de 2019, criando a Grow.

Ainda de acordo com as fontes ouvidas pelo SUNO Notícias, a desavença fez com que Lambrecht, antes ativo, se afastasse da operação do dia a dia da empresa.

Pedidos de demissão afetam Grow

As desavenças acerca das estratégias da Grow começaram a aparecer para funcionários e investidores da empresa desde o primeiro semestre.

A gota d’água, entretanto, ocorreu quando o CEO, Sergio Romo, pediu o desligamento de profissionais de confiança de Ariel. Um deles era o CTO da empresa, Ricardo Oliveira, que vinha trabalhando com o brasileiro desde os tempos de 99 – primeiro unicórnio brasileiro.

Confira: SoftBank pretende realizar investimentos maiores na América Latina

Quando soube do pedido, Ariel interveio para que as demissões não ocorressem. A iniciativa, entretanto, não deu resultado, pois Romo insistiu para que a empresa efetuasse os desligamentos.

Com a derrota política, Ariel anunciou aos colaboradores que estava se afastando do dia a dia da empresa que ajudara a fundar. Depois, partiu para um período sabático no exterior.

Como vice-presidente global de produtos, Lambrecht era o responsável pelas principais funções de produto e engenharia e comandava as operações brasileiras ao lado de Marcelo Loureiro, que foi chefe da Grin no Brasil.

Logo após o anúncio, o departamento de RH da Grow recebeu dezenas de pedidos de desligamento de profissionais ligados a Ariel, a maioria oriundos dos tempos de 99 e Yellow.

Dessa forma, a empresa passou a perder talentos, o que desagradou a avaliação do banco que iria aportar milhares de dólares na companhia de mobilidade.

Além disso, o SoftBank também avaliou que uma crise entre CEO e fundador e vice-presidente de produtos não era positiva à empresa e, antes de um futuro investimento, esses problemas de gestão deveriam ser sanados.

O montante sairia do fundo de cerca de US$ 5 bilhões que o SoftBank montou para investimentos em empresas da América Latina. A estratégia dos japoneses é investir em companhias que se tornem campeãs regionais.

Empresa é resultado de fusão entre Yellow e Grin

A empresa de mobilidade Grow Mobility Inc. é o resultado de uma fusão entre a mexicana Grin e a brasileira Yellow.

A mexicana, porém, tem maior controle acionário na companhia. O conselho da Grow também é presidido por Jonathan Lewy, cofundador da Grin.

À época da fusão, a empresa contava com mais de 135 mil patinetes e bicicletas distribuídas em sete diferentes países. Ao todo, a empresa já realizou mais de dezoito milhões de corridas na América Latina.

Em novembro do ano passado, a empresa anunciou que iria descontinuar a marca Yellow, passando a trabalhar apenas com a Grin.

Procurada, a Grow afirmou que “o processo de reestruturação vivido nessa etapa foi bem sucedido e agregou vantagem competitiva à empresa”. Além disso, a companhia também disse que “Ariel Lambrecht é fundador e acionista da companhia. Não atua no dia a dia da gestão da empresa”.

O SoftBank informou que não irá comentar o caso. Já Ariel Lambrecht também preferiu não comentar o caso.

Vinicius Pereira

Compartilhe sua opinião