Internacional

Governo dos EUA ordena Google a permitir debate político na empresa

0

O Conselho Nacional de Relações Trabalhistas dos Estados Unidos tem lidado com diversas reclamações de ex-funcionários da gigante norte-americana, Google. O governo ordenou a empresa a permitir conversas sobre questões políticas no local de trabalho.

De acordo com informações de pessoas próximas ao assunto, o Google tem retaliado muitos funcionários que discutem questões políticas dentro da companhia.

O Google se apresenta como uma empresa famosa por ter uma cultura que incentiva o debate aberto no ambiente de trabalho. Entretanto, nos últimos anos, a companhia tem recebido diversas reclamações por não ser a favor de debates que levantam o tema de igualdade e liberdade de expressão.

O ex-engenheiro do Google, Kevin Cernekee, afirmou que foi demitido da empresa após expressar seus ideais políticos de direita em reuniões internas da empresa. Entretanto, a gigante companhia de buscas online afirmou que o empregado foi demitido por utilizar indevidamente alguns equipamentos da empresa.

O Conselho Nacional de Relações Trabalhista dos EUA ordenou o Google a informar seus funcionários que eles são livres para expor suas opiniões na mídia e também a outras pessoas. Além disso, os funcionários também podem falar sobres suas condições de trabalho na empresa e outros assuntos parecidos, mesmo que a empresa não julgue esses pontos adequados para o ambiente de trabalho.

O Google não se manifestou sobre os casos e a decisão do conselho trabalhista nesta semana.

Veja também: Ministério da Justiça investiga Google por divulgação de dados de menores de idade

Estados dos EUA abrem investigação contra Google por concorrência desleal

No dia 9 de setembro, aproximadamente 48 estados e mais dois territórios dos Estados Unidos abriram uma investigação antimonopólio contra o Alphabet, controlador do Google.

De acordo com os procuradores-gerais dos estados, o Google domina todos os aspectos da publicidade e do mercado online. O gigante da tecnologia comanda tanto o consumidor quanto o anunciante.

“Consumidores acreditam que a internet é livre, mas não é. Essa é uma companhia que domina todos os aspectos da publicidade e busca. O lado do comprador, do consumidor e até mesmo o segmento de vídeo com YouTube“, disse o procurador-geral do Texas, Ken Paxton.

De acordo com a procuradora-geral de Massachusetts, Maura Healey, o Google e o Facebook são as únicas empresas que detém o controle total da publicidade digital. Dessa forma, eles agem como um duopólio.

Compartilhe a sua opinião

Juliano Passaro
Juliano Passaro escreve sobre política, economia e negócios para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou no Portal da Band. É formado em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.