Negócios

Google pagará US$ 170 milhões por exposição de dados infantis

0

A plataforma de vídeo do Google, YouTube, concordou em pagar uma multa de R$ 170 milhões nos Estados Unidos. A indenização está relacionada com a acusação de exposição dos menores de idade a conteúdos inapropriados, além de colher informações dos usuários sem a permissão de seus pais.

O acordo do YouTube é recorde quando relacionado as multas de proteção da privacidade infantil, no entanto, para o Google o valor é pequeno quando comparado com o lucro de US$31 bilhões.

Em nota, o diretor da agência federal para a defesa do consumidor (FTC, em inglês), Joe Simons, informou que a plataforma de vídeo foi beneficiada com as informações das crianças.

“O YouTube se beneficiou de sua popularidade entre crianças (para negociar) com companhias que eram possíveis clientes. Contudo, quando se tratava de respeitar a lei, a empresa se negou a reconhecer que parte de sua plataforma estava claramente destinada a crianças. Não há desculpas para a violação da lei por parte do YouTube”, disse Simons.

Confira Também: Google repassa secretamente dados de usuários aos anunciantes, diz concorrente

No início do ano passado, em abril, cerca de 23 instituições de defesa de direitos digitais e de proteção da infância apresentaram uma ação à FTC. Todas acusavam a plataforma de vídeo de coletarem informações, como localização, número de telefone, sem o conhecimento dos pais, com o objetivo de autorizar publicidade dirigida.

A Alphabet, empresa controladora do Google, e o Facebook, possuem mais de 55% de participação de mercado de publicidade on-line dos Estados Unidos.

Google responde as acusações

Em resposta as acusações, a diretora da plataforma, Susan Wojciki, disse que “trataremos os dados daqueles que veem programas infantis no YouTube como se fossem de uma criança, independentemente da idade do espectador”.

Segundo o acordo, a plataforma precisa modificar seus métodos de coleta de dados, limitando se apenas ao necessário para o funcionamento do serviço.

“Essas mudanças terão um impacto financeiro significativo nas famílias e nas crianças empreendedoras que produziram ótimos conteúdos e criaram empresas em expansão”, disse Wojciki.

Dessa forma, a diretora informou que dará quatro meses para que os youtubers se adaptem, e criará um fundo de US$ 100 milhões para conteúdo originais destinados às crianças.

Um dos membro dos FTC, Rohit Chopra, disse que a multa é tão baixa que a empresa não sentiu necessidade de comunicar seus acionistas. “Os termos do acordo são tão benevolentes que o Google nem achou necessário alertar seus investidores”, disse Chopra.

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.