Negócios

Google permitirá pagamentos com cartão de débito em carteira digital

0

O Google lançou nesta segunda-feira (14) uma atualização para o Google Pay, serviço de pagamentos digitais da companhia. A medida permite o uso de cartão de débito para compras virtuais.

No primeiro momento, somente os cartões do Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Caixa serão aceitos no Google Pay. O serviço de pagamentos pode ser utilizado por aplicativos acessados por meio do sistema operacional Android.

A companhia norte-americana estabeleceu parceria com algumas empresas para o desenvolvimento do serviço. Entre elas, as bandeiras Elo, Visa e Mastercard e as seguintes empresas:

  • CittaMobi;
  • Claro;
  • Evino;
  • iFood;
  • Ingresso.com;
  • Grin;
  • Rappi;
  • Peixe Urbano;
  • Yellow;
  • Zul Digital.

“A opção de pagamento foi desenvolvida especialmente para o mercado brasileiro, que tem uma baixa penetração de cartões de crédito — 50 milhões dos 210 milhões de brasileiros”, informou a companhia.

Como funcionará o novo serviço

A possibilidade de utilizar crédito ou débito aparecerá assim que o usuário fizer compras online por meio da carteira de pagamentos. Uma tecnologia de codificação será utilizada para evitar fraudes.

De acordo com João Felix, chefe de estratégia e operações do Google Pay na América Latina, o maior problema envolvendo o uso de cartões de débito na internet é o alto risco de fraude.

Segundo Felix, o cliente poderá solicitar o estorno ao banco responsável pelo cartão utilizado em caso de uso indevido nas compras virtuais.

Google pretende comprar Firework

O Google está avaliando adquirir um aplicativo de vídeo, chamado Firework, para ser concorrente do famoso TikTok, criado na China.

Saiba mais: Google estuda aquisição do aplicativo de vídeo Firework

Os dois aplicativos têm um conceito de funcionamento parecido. Eles permitem que os usuários publiquem vídeos curtos, de 30 segundos. O Firework é bem conceituado por seu publico alvo e tem uma avaliação media de 4,5 na IOS APP Store, loja virtual da Apple.

Além da aquisição, o Google também estuda outras formas de parceria com o aplicativo. No começo deste ano, o Firework foi avaliado em US$ 100 milhões (aproximadamente R$ 413 milhões). Uma empresa chinesa denominada Weibo também demonstrou interesse na aquisição do aplicativo.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.