Negócios

Ministério da Justiça investiga Google por divulgação de dados de menores de idade

0

Após a plataforma de vídeo do Google, YouTube, ser acusado nos Estados Unidos por divulgação de dados de menores de idades para propaganda dirigida, o Ministério da Justiça do Brasil abriu uma investigação contra a empresa de tecnologia por violação de privacidade.

O Departamento de Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacom) investiga o Google por “suposta coleta de dados de crianças e adolescentes, usuários do YouTube, sem o conhecimento dos pais”, como objetivo de “autorizar publicidade dirigida”.

No mês passado, a Senacom já havia notificado a empresa de tecnologia por violações de privacidade. A secretaria suspeita que dentre os registros coletados estariam a geolocalização dos usuários e o número de telefone. O Google tem até 10 dias para responder ao requerimento.

Procurado e questionado pela “Agência Brasil”, a empresa de tecnologia informou que não tem “nada a declarar.

Google pagará multa de US$ 170 milhões

O YouTube concordou em pagar uma multa de R$ 170 milhões nos EUA. A indenização está relacionada com a acusação de exposição dos menores de idade a conteúdos inapropriados, além de colher informações dos usuários sem a permissão de seus pais.

O acordo do YouTube é recorde quando relacionado as multas de proteção da privacidade infantil, no entanto, para o Google o valor é pequeno quando comparado com o lucro de US$31 bilhões.

Em nota, o diretor da agência federal para a defesa do consumidor (FTC, em inglês), Joe Simons, informou que a plataforma de vídeo foi beneficiada com as informações das crianças.

Confira Também: Google responde as acusações

“O YouTube se beneficiou de sua popularidade entre crianças (para negociar) com companhias que eram possíveis clientes. Contudo, quando se tratava de respeitar a lei, a empresa se negou a reconhecer que parte de sua plataforma estava claramente destinada a crianças. Não há desculpas para a violação da lei por parte do YouTube”, disse Simons.

Um dos membro dos FTC, Rohit Chopra, disse que a multa é tão baixa que a empresa não sentiu necessidade de comunicar seus acionistas. “Os termos do acordo são tão benevolentes que o Google nem achou necessário alertar seus investidores”, disse Chopra.

Compartilhe a sua opinião

Poliana Santos
Poliana Santos escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, colaborou na Rádio Gazeta AM, onde era responsável pela produção do programa Bom Dia Gazeta. É estudante da Faculdade Cásper Líbero.