Finanças pessoais

Bancos lançam programa profissional para mulheres universitárias de SP

0

Bancos de investimento como o Goldman Sachs, BNP Paribas, Deutsche Bank e UBS AG lançaram em conjunto um programa de desenvolvimento profissional gratuito. O público alvo dos cursos engloba mulheres estudantes universitárias do estado de São Paulo.

A parceria, intitulada Dn’A Women (Develop and Achieve Women), visa aumentar a participação de mulheres no mercado financeiro. Com 60 vagas, o programa terá início em agosto e duração de quatro meses.

As aulas, que devem ocorrer aos sábados, serão dividias em seis módulos:

  • comunicação;
  • finanças pessoais;
  • mercado financeiro;
  • imagem pessoal;
  • autoconhecimento;
  • e liderança.

As inscrições estão abertas, e podem ser feitas até dia 5 de junho deste ano. O processo seletivo inclui testes on-line, dinâmica de grupo e entrevista. Para candidatar-se a uma vaga, a estudante paulista terá de cumprir os seguintes requisitos:

  • ter graduação prevista a para o final de 2020 ou 2021;
  • e inglês intermediário.

A ideia para a parceria brotou ao longo de diversos almoços entre as mulheres executivas dos bancos de investimentos:

  • Maria Silvia Bastos Marques, presidente do Conselho de Administração do Goldman Sachs no Brasil;
  • Sandrine Ferdane CEO do BNP Paribas no País;
  • Sylvia Brasil Coutinho, presidente do Grupo UBS no Brasil;
  • e Maitê Leite, presidente do Deutsche Bank.

A iniciativa também tem o apoio do grupo Women in Leadership in Latin America (WILL), do escritório de advocacia Cescon Barrieu e da empresa de recrutamento Cia de Talentos.

Clique aqui para mais informações sobre o projeto e/ou para realizar a inscrição.

Saiba mais – #MaisUmaInvestidorA: conheça três histórias de mulheres inspiradoras

As mulheres que planejaram o Dn’A Women

“Nós quatro estamos em bancos de investimento, que são um universo ainda mais masculino que o de bancos de varejo. Pensei que, juntas, poderíamos fazer algo para incentivar o surgimento de mais lideranças femininas”, disse Coutinho à “Folha de S. Paulo”. A executiva da UBS é a primeira mulher a presidir um banco estrangeiro no Brasil.

Marques, que trabalha no Goldman Sachs desde 2018, foi a primeira e única mulher a presidir a Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“Nós somos raras em todos os meios. Elas [as outras três presidentes] são executivas do mercado financeiro. Eu não, trabalhei em muitos setores. E essa é uma questão recorrente”, opinou Marques.

“Sei que vou provocar um pouco dizendo isso, mas a gente coloca muito a questão da diversidade em termos do que os homens precisam fazer para que as mulheres tenham oportunidades. Mas ao invés de focar na parte que você não controla do problema, acho interessante focar na parte que você controla”, declarou Ferdane, que assumiu a presidência do BNP Paribas no Brasil em 2014.

“Qual é a parte que as mulheres controlam? O que fazem? Nós não vamos mudar os homens. Então, acho interessante dizer: vamos focar na parte que controlamos. E aí parece que o desafio está conosco. Quero focar na oferta. Será que as mulheres estão oferecendo o que o mercado está querendo?”, provocou a executiva do BNP Paribas.

Ainda de acordo com a idealizadora, o Dn’A Women terá um foco grande no desenvolvimento das mulheres, como assertividade e motivação.

Compartilhe a sua opinião

Amanda Gushiken
Amanda Sayuri Gushiken escreve sobre finanças e negócios para o portal Suno Notícias. Antes, trabalhou selecionando notícias da imprensa para clientes do mercado financeiro. Também desenvolve pesquisa acadêmica pela Universidade Anhembi Morumbi na área de Teorias da Comunicação e é fotógrafa nas horas vagas.