Gol (GOLL4) anuncia contratação de ex-diretora de tecnologia da Avon

Gol (GOLL4) anuncia contratação de ex-diretora de tecnologia da Avon
A Gol (GOLL4) contratou como sua nova diretora de tecnologia Cláudia Meira, que atuou como diretora de TI na Avon pelos últimos 15 anos.

A companhia aérea Gol (GOLL4) anunciou nessa quarta-feira (23) que contratou, como sua nova diretora de tecnologia, Cláudia Meira que atuou como diretora de TI na Avon nos últimos anos.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Meira agora vai ocupar o lugar na Gol que era ocupado por Paulo Palaia há nove anos. Contudo, Palaia agora exercerá a função de consultor de tecnologia da companhia aérea por 12 meses.

Ademais, Meira, que trabalhou na Avon pelos últimos 15 anos, tem pós-graduação em Gestão de Projetos pela USP, ao passo que também é graduada em Engenharia de Software pela Unicamp. Além de trabalhar na Avon, ela também trabalhou no Unibanco.

Conheça o Suno One, a central gratuita de informações da Suno para quem quer aprender a investir. Acesse clicando aqui.

Enquanto diretor de tecnologia da Gol, Palaia, por sua vez, auxiliou a companhia a implementar diversos serviços, como:

  • Recurso de geolocalização;
  • Embarque Biométrico;
  • Selfie Check-in;
  • Check-in através do aplicativo WhatsApp;
  • Robô Físico de Atendimento (GAL)

Após o anúncio dessa quarta-feira, por volta das 16h, as ações da Gol negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) sob o ‘ticker’ GOLL4 estavam em baixa de 1,91%, em comparação com o valor de abertura, enquanto estavam cotadas a R$ 17,98.

Resultados da Gol no 2T20

A Gol Linhas Aéreas registrou prejuízo de R$ 1,996 bilhão no segundo trimestre deste ano. No mesmo período em 2019, a companhia aérea havia registrado prejuízo de R$ 194,6 milhões.

A Gol também divulgou que, se descontados efeitos extraordinários como receitas e despesas não recorrentes e variação cambial, o prejuízo seria de R$ 771,8 milhões, ante prejuízo de R$ 2,1 milhões no mesmo período de 2019.

A receita líquida da companhia aérea totalizou R$ 357,8 milhões, em comparação com o mesmo período no ano passado, esse valor representa queda de 88,6%. De acordo com a Gol, esse resultado é “devido principalmente a redução na demanda em decorrência da adoção do comportamento de distanciamento social pelos clientes e pelo fechamento de fronteiras”.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 99,2 milhões no período. O Ebitda ajustado por assento-quilômetro disponível foi R$ 10,02 (centavos). Por sua vez, o resultado operacional (Ebit ajustado) no segundo trimestre foi de R$ 20,4 milhões. A margem operacional foi de 5,7%, segundo informou a Gol.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião