General Motors para produção em sua unidade de Gravataí

General Motors para produção em sua unidade de Gravataí
A General Motors apresentou uma proposta de extensão de layoff e a abertura de programa de demissão voluntária

A General Motors (GM/GMCO34) vai parar a produção de sua unidade de Gravataí (RS) a partir desta segunda-feira (18). Contudo, a empresa nega que a medida esteja alinhada à possível desativação da empresa.

Com parte dos funcionários em férias coletivas também a partir de hoje. A General Motors passará por adaptações para produzir novos modelos de veículos a partir de 11 de março.

Em 2017, a GM anunciou um investimento de R$ 1,4 bilhão no Complexo de Gravataí. O intuito seria modernizar a linha de montagem, para então produzir novos automóveis. O aporte já fazia parte do plano de investimentos.

Recentemente, a General Motors anunciou que poderá investir até R$ 10 bilhões no Brasil entre 2020 e 2024.

Há ainda um plano de investimentos em andamento, na casa dos R$ 13 bilhões, entre 2014 e 2019.

Saiba mais – General Motors tem lucro de US$ 8,1 bilhões em 2018 

Saiba mais – General Motors avalia condições para investir R$ 10 bi no Brasil

Plano de investimento de 2014-2019

Em 2 de janeiro, a GM também disse que está na fase final de um plano de investimentos de R$ 13 bilhões, entre o período de 2014 a 2019.

“Como líderes de mercado, estamos assumindo a responsabilidade de encarar de frente os desafios de competitividade que vive a indústria, para viabilizar um futuro sustentável aos nossos negócios e o devido retorno aos acionistas”, disse o presidente-executivo da GM no Mercosul, Carlos Zarlenga.

No Brasil, a General Motors possui fábricas em:

  • Rio Grande do Sul: Gravataí;
  • São Paulo: Mogi das Cruzes (autopeças), São Caetano do Sul e São José dos Campos;
  • Santa Catarina: Joinville (autopeças).

Conforme a “Reuters”, a montadora deu ênfase ao fato de que o plano de investimento a ser concluído em 2019, contempla:

  • a renovação completa da linha de produtos Chevrolet;
  • desenvolvimento de novas tecnologias de eficiência energética dentro do Programa INOVAR Auto;
  • novas tecnologias de conectividade;
  • expansões nas fábricas de São Caetano do Sul e de Gravataí;
  • ampliação da fábrica de Joinville, que teve a capacidade elevada de 120 mil para 450 mil motores por ano;
  • e a implementação de inovadoras tecnologias de manufatura 4.0 nas fábricas de São Caetano do Sul, Gravataí e Joinville.

“Estes investimentos levaram a marca Chevrolet à liderança do mercado, posição que mantém desde outubro de 2015”, completou Zarlenga.

Saiba mais – General Motors informa funcionários que pode deixar América do Sul 

Saída da América do Sul

A diretoria da General Motors, no Brasil informou seus funcionários via e-mail, em 18 de janeiro, acerca da possibilidade da multinacional encerrar sua operações na América do Sul.

O presidente-executivo da GM do Mercosul, Carlos Zarlenga, afirmou aos empregados que a companhia tem se esforçado para uma reestruturação. Porém, segundo Zarlenga, o movimento tem causado muitos rumores.

Confira parte do e-mail ao qual o “Terra” obteve acesso:

“A GM no Brasil teve um prejuízo agregado significativo no período de 2016 a 2018, que NÃO PODE SE REPETIR. 2019 será um ano decisivo para nossa história.

O Comitê Executivo do Mercosul está fortemente comprometido para reverter esta situação de forma imediata e definitiva. Vivemos um momento crítico que vai exigir importantes sacrifícios de TODOS.

O Comitê Executivo do Mercosul desenvolveu um plano de viabilidade que foi apresentado para nossa liderança global em Detroit.

Esse plano requer apoio do governo, concessionários, empregados, sindicatos e fornecedores. Do sucesso deste plano dependem os investimentos da General Motors e o nosso futuro.”

Amanda Gushiken

Compartilhe sua opinião