Futuros de NY operam em leve alta; Europa entre ganhos e perdas

Futuros de NY operam em leve alta; Europa entre ganhos e perdas
No pregão da última segunda-feira, o Ibovespa fechou em queda de 1,73%, a 99.595,406 pontos.

Os mercados futuros de Nova York operam de forma positiva nesta sexta-feira (17), e caminham para encerrar a semana com um leve ganho. Os mercados europeus apresentam ganhos e perdas, enquanto as bolsas asiáticas fecharam em alta, mesmo com a elevada tensão entre EUA e China. Os investidores também permanecem atentos às possíveis vacinas que combatam a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Por volta das 7h25, os mercados futuros dos EUA operavam em alta. O S&P 500 futuro apresentava um avanço de 0,45%, para 3.208,62 pontos. O mercado à vista do índice das 500 maiores empresas norte-americanas fechou o pregão da última quinta-feira (16) com uma baixa de 0,34%.

O número de casos do coronavírus nos EUA ultrapassou 3,5 milhões, com 138 mil mortes, segundo a universidade norte-americana John Hopkins. A segunda onda de infecções no país foi o motivo da oscilações das ações nesta semana, com novas restrições à atividade econômica em alguns dos maiores estados estadunidenses.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Um sinal da perspectiva menos otimista com a economia dos EUA pode ser observada pelos bancos, sobretudo os de varejo e consumo. J.P. Morgan e Bank of America apresentaram fortes contrações no lucro líquido do segundo trimestre, no entanto, isso se deu por conta da maior Provisão para Devedores Duvidosos (PDD), para potenciais inadimplências.

No mesmo horário, o Dow Jones também subia, a 0,31%, para 26.635,0 pontos. Já a Nasdaq avançava 1,03%, a 10.621,50 pontos. A bolsa da tecnologia já subiu 17% neste ano, superando sua máxima histórica. O S&P 500 VIX, “indicador do medo” do mercado norte-americano, apresentava uma baixa de 1,58%, a 27,68 pontos.

Segundo James Athey, gerente sênior de investimentos da Aberdeen Standard Investments, em entrevista ao “The Wall Street Journal”, “no geral, o mercado acionário tem um preço além da perfeição nas perspectivas para os próximos 12 a 24 meses”. “Os índices dos EUA, e um pequeno número de ações incrivelmente impactantes e incrivelmente grandes, têm sugado os investidores de todo o espectro”.

A Netflix (NASDAQ: NFLX) divulgou seus resultados do segundo trimestre de 2020. A receita, em relação ao intervalo entre os meses de abril e junho de 2020, foi de US$ 6,15 bilhões (cerca de R$ 33,7 bilhões), maior que a estimativa do mercado de US$ 6,05.

No entanto, a Netflix desapontou os analistas e o mercado ao divulgar o lucro por ação (LPA) da empresa. As expectativas dos analistas para esse indicador era US$ 1,81, porém a empresa registrou U$ 1,59; não obstante, a empresa informou que o crescimento de assinantes deve desacelerar até o fim do ano. As ações da companhia recuavam 7% no pré-market desta sexta-feira.

Entretanto, “as empresas que informaram seu resultados do segundo trimestre até agora superaram as expectativas em cerca de 80%”, disse Mark Matthews, chefe de pesquisa asiática do Bank Julius Baer & Co., à “Bloomberg”.

De forma levemente distinta dos futuros de Nova York, os mercados europeus operam sem direção única após a abertura do pregão. Após a abertura do mercado nesta quarta-feira, os índices do Velho Continente eram conduzidos por empresas de viagens e lazer.

O DAX 30, índice alemão, operava com uma alta de 0,45%, a 12.933,40 pontos. O índice francês, CAC 40, registrava -0,13%, para 5.078,60 pontos. O britânico FTSE 100, por sua vez, apresentava um avanço de 0,57%, para 6.286,62 pontos.

O FTSE MIB, índice italiano, operava estável, a 20.357,50 pontos, acima do nível pré-pandemia. O Euro Stoxx 50, maior índice acionário da zona do euro, subia 0,20%, para 3.372,23 pontos.

Na Ásia, os principais mercados fecharam de forma estável. O SSE Composite, de Xangai, encerrou o pregão com uma leve alta de 0,13%, a 3.214,13 pontos, atenta às tensões entre EUA e China, sobretudo no que tange à interferência chinesa em Hong Kong.

A bolsa do Japão, Nikkei 225 encerrou o pregão com uma baixa de 0,32%. A bolsa de Hong Kong fechou com um leve avanço de 0,47%. Já KOSPI, mercado da Coreia do Sul, encerrou as negociações registrando +0,80%.

Veja também: Após tombo, PIB da China cresce de 3,2% no 2T20, acima do esperado

Às 7h45, o petróleo WTI apresentava uma queda de 0,74%, sendo negociado a US$ 40,45 o barril. Por sua vez, o petróleo Brent registrava uma baixa de 0,78%, a US$ 43,03 o barril. O mercado da commodity procura retomar a tendência de crescimento após a gradual recuperação da demanda pelo produto.

Assim como a maior parte de junho, julho acena à expectativa de uma recuperação econômica e descoberta de uma vacina para o combate ao coronavírus. Dessa forma, os mercados futuros e as bolsas globais refletem o comportamento dos investidores de todo o mundo.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião