Fundos Imobiliários: Confira os 5 que mais desvalorizaram em setembro

Fundos Imobiliários: Confira os 5 que mais desvalorizaram em setembro
Grand Plaza Shopping (foto: divulgação)

Os Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) atingiram, em setembro, um milhão de cotistas na Bolsa de Valores de São Paulo. O aumento dos cotistas dos Fundos Imobiliários acontece em linha com a redução da taxa básica de juros (Selic) do Brasil, que tem influenciado os investidores que aplicavam mais em renda fixa a migrarem para a renda variável. O Suno Notícias separou os cinco FIIs que mais desvalorizaram em setembro.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

Destacamos que esta matéria não é uma recomendação de investimento.

Veja os cinco FIIs que mais desvalorizaram no mês de setembro:

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro para trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

ABCP11 – FII ABC Imob

O ABCP11 é um fundo que tem como foco os imóveis físicos, sendo um FII do tipo tijolo. Seus investimentos, entretanto, são voltados especialmente para shoppings. O fundo também é conhecido por “Grand Plaza Shopping” (que dá nome ao empreendimento localizado no ABC Paulista) e foi constituído em 1996.

O FII ABC Imob foi o que mais desvalorizou em setembro deste ano, com uma variação negativa de -10,35%.

XPPR11 – FII XP Properties

O XP Properties (XPPR11) foi constituído em maio de 2018 e é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Destinado a investidores em geral, o fundo é administrado pela Vórtx DTVM LTDA. Em setembro, o XPPR11 encerrou o mês com 9,35% de desvalorização.

Os investimentos do XPPR11 são voltados a lajes corporativas, empreendimentos do ramo de educação e hospitais.

BCIA11  – FII BCIA

O FII Bradesco Carteira Imobiliária Ativa (BCIA11), constituído em setembro de 2014, é um FII do tipo Fundo de Fundos (FOF), com foco no investimento de papéis de outros fundos imobiliários. O FIIs do tipo FOF investem em papéis como Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letras Hipotecárias (LH) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI).

Em setembro, o BCIA11 teve uma desvalorização de 8,07%.

HTMX11 – FII Hotel Mix

Constituído em 2007, o Fundo Imobiliário Hotel Maxinvest (HTMX11) é um fundo imobiliário de tijolo, administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros. Em agosto, o fundo desvalorizou 6,98%. De acordo com informações do site “fundsexplorer”, o FII Hotel Maxinvest foi constituído com o objetivo de crescer junto com a recuperação do mercado hoteleiro de São Paulo. Hoje, o objetivo do fundo é investir em imóveis comerciais, em construção ou prontos.

HGLG11 – FII CSHG Log

O CSHG Logística (HGLG11) é um fundo imobiliário do tipo tijolo, que visa a aquisição de galpões logísticos. O objetivo do HGLG11, assim como o de outros FIIs de tijolo, é adquirir ou construir imóveis para alugar e gerar uma renda mensal. O HGLG11 foi constituído em 2010 e é administrado pelo Credit Suisse Hedging Griffo Corretora de Valores S.A.O FII foi o quinto que mais desvalorizou em setembro, tendo uma depreciação de 6,20%.

Sobre os Fundos Imobiliários

O Fundo de Investimento Imobiliário é um ativo negociado em bolsa de valores. Para adquirir cotas, o investidor precisa criar uma conta na corretora, fazer seus estudos sobre qual tipo de fundo está alinhado ao seu perfil (ou consultar um profissional confiável do mercado financeiro) e realizar seus investimentos. Atualmente, há, também, diversos sites que mostram as características, tipos e os códigos que cada fundo opera na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão).

O Suno Notícias alerta que esta nota sobre fundos imobiliários não configura, de forma alguma, uma recomendação de investimento.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião