Fundos Imobiliários: Confira os 5 que mais valorizaram em agosto

Fundos Imobiliários: Confira os 5 que mais valorizaram em agosto
Fachada do Maceió Shopping. (foto: divulgação)

O SUNO Notícias separou os cinco Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) que mais valorizaram em agosto. Muitos especialistas do mercado financeiro consideram os FIIs como investimentos menos arriscados do que as ações. Isso porque os fundos imobiliários possuem uma remuneração recorrente e costumam pagar proventos mensais.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

Os fundos imobiliários remuneram os investidores de acordo com os lucros obtidos com as receitas de aluguéis, vendas de imóveis e arrendamentos.

No Suno One você aprende a fazer seu dinheiro para trabalhar para você. Cadastre-se gratuitamente agora!

Destacamos que esta matéria não constitui uma recomendação de investimento.

Veja os cinco FIIs com maior rentabilidade do mês de agosto:

SPTW11 – FII SP Downtown

O SPTW11, FII de Renda Gestão Passiva com Ativos Alvo de Escritórios, é um fundo imobiliário do tipo tijolo. O FII direciona seus investimentos a propriedades do segmento escritórios (lajes corporativas). O SPTW11 é administrado pela Geração Futuro Corretora de Valores S.A. O FII SP Downtown (SPTW11) valorizou 15,70% em agosto, sendo o primeiro da lista deste mês.

O SPTW11 foi constituído em abril de 2013 e seu intuito principal é prover rendimentos de longo prazo, através da alocação de seus recursos na aquisição dos imóveis alvo, por meio de suas participações societárias.

ALZR11 – FII Alianza

O FII Alianza (ALZR11) apresentou uma valorização de 14,20% em agosto. O Alianza Trust Renda Imobiliária é um FII do tipo tijolo, que tem como objetivo o investimento em empreendimentos não residenciais, com exceção também de hospitais. O FII é administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros.

BARI11 –  Barigui Rendimento Imobiliários I

O fundo imobiliário do tipo papel, Barigui Rendimento Imobiliários I (BARI11), FII do Tipo Papel Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), destina seus investimentos, majoritariamente, a aplicações em títulos e valores mobiliários. O fundo foi constituído em novembro de 2017. Este FII é destinado a investidores em geral. Ou seja, podem ser qualificados e profissionais ou não qualificados, pessoa física ou jurídica. Em agosto, o BARI11 valorizou 9,37%.

CBOP11 – Castello Branco Office Park

O fundo imobiliário Castello Branco Office Park (CBOP11), administrado pelo Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A., é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Ou seja, os investimentos desse FII são focados em empreendimentos imobiliários físicos. O CBOP11 foi constituído em 2012. Este FII teve valorização de 8,25% em agosto.

MALL11 – Malls Brasil Plural FII

O Malls Brasil Plural FII (MALL11) é um FII constituído em dezembro de 2017, que tem como objetivo principal obter renda a partir da exploração imobiliária e ganho de capital, por meio da aquisição e da venda de ativos. Dessa forma, o MALL11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo. Este fundo é administrado pela Genial Investimentos Corretora de Valores Mobiliários S.A e gerido pela BRPP Gestão de Produtos Estruturados Ltda (companhia que pertence ao Grupo Brasil Plural). O MALL11 apresentou uma valorização de 7,75% no mês de agosto.

Vale destacar que o MALL11 detém uma posição majoritária no Maceió Shopping, situado em Alagoas.

Sobre os Fundos Imobiliários

O Fundo de Investimento Imobiliário é um ativo como qualquer outro que é negociado em bolsa de valores. Para comprar as cotas, o investidor só precisa criar uma conta na corretora, fazer seus estudos iniciais sobre qual tipo de fundo está alinhado ao seu perfil e realizar seus investimentos. Atualmente, há diversos sites que mostram as características, tipos e os códigos que cada fundo opera na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão).

O Suno Notícias alerta que esta nota sobre fundos imobiliários não configura, de forma alguma, uma recomendação de investimento.

Juliano Passaro

Compartilhe sua opinião