Fleury registra lucro líquido de R$ 94,8 mi no 3T19

Fleury registra lucro líquido de R$ 94,8 mi no 3T19
Fleury (FLRY3)

A Fleury (FLRY3) registrou um lucro líquido de R$ 94,8 milhões no terceiro trimestre de 2019. O montante foi 4,9% maior do que o adquirido no ano anterior, segundo os dados divulgados pela empresa nesta quinta-feira (24).

Além disso, a margem líquida da Fleury recuou de 13,2% para 12,5%. Nos nove primeiros meses do ano, a margem líquida recuou de 13,6% a 12,3% em comparação a 2018.

Na comparação de nove meses, houve um aumento no lucro bruto. O crescimento foi de 2,4% ante o mesmo período do ano anterior. Assim, o valor passou de R$ 636 milhões no ano passado para R$ 118 milhões neste ano.

Receita no 3T19

A receita bruta obtida no terceiro trimestre de 2019 foi de R$ 818 milhões. Entre janeiro e setembro, o valor foi de R$ 2,363 bilhões. O número representa um aumento de 10,8% em comparação ao ano passado.

A receita líquida registrada foi de R$ 755,7 milhões, com crescimento de 10,6% ante o mesmo período do ano passado. No balanço de nove meses, o valor foi de R$ 2,1 bilhões, indicando aumento de 8,7% em comparação aos nove primeiros meses de 2018.

Ebitda

O Ebitda aumentou 8,2% em comparação ao terceiro trimestre de 2018 e ficou em R$ 196,5 milhões. No último ano, o índice foi de R$ 181,5 milhões.

O valor entre janeiro e setembro foi de R$ 565,7 milhões em 2019. Em comparação ao mesmo período do ano passado, o aumento foi de 3,6% pois o índice registrou R$ 546,3 em 2018.

Justificativas da Fleury

No comunicado, o grupo Fleury explica a alta por diversos fatores: “No 3T19, o número de Exames por Atendimento apresentou aumento de 1,9%, atingindo 9,2 Exames por Atendimento. A principal contribuição ocorre nas marcas do Rio de Janeiro, com o aumento da penetração dos exames de análises clínicas nos atendimentos.”

Já sobre a Receita Bruta por Exame, a Fleury declara que: “No 3T19, a Receita Bruta por Exame apresentou redução de 3,7%, atingindo R$ 52,5. A redução observada é explicada pelo mix de negócios, com o maior crescimento das marcas intermediárias que apresentam ticket por exame menor que a marca Fleury (premium), assim como do aumento da relevância de exames de análises clinicas em relação ao diagnóstico por imagem no volume, que apresentam, também, menor ticket médio.”

Rafael Lara

Compartilhe sua opinião