Destaque

Fitch atribui rating ‘AAA’ para Telefônica Brasil (VIVT4) pela primeira vez

Fitch atribui rating ‘AAA’ para Telefônica Brasil (VIVT4) pela primeira vez
Telefônica Brasil (VIVT4) anuncia venda de empresa de cibersegurança

A agência de classificação de riscos Fitch Ratings atribuiu rating “AAA” para a Telefônica Brasil (VIVT3; VIVT4) com perspectiva estável, pela primeira vez. A informação foi divulgada pela agência no início do mês.

De acordo com a Fitch, a classificação do rating nacional de longo prazo reflete o ‘sólido modelo de negócios’ da Telefônica e seu perfil financeiro conservador, “com liquidez robusta e baixa alavancagem financeira”.

Além disso, o comunicado destaca que na visão da agência, o impacto da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) será limitado e não irá prejudicar a geração de fluxo de caixa da companhia de telecomunicação.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Por sua vez, a perspectiva estável advêm da expectativa da Fitch de que a companhia continuará apresentado forte desempenho operacional nos próximos três anos, de acordo com o documento.

Telefônica  registra lucro líquido de R$ 1,15 bilhão no 1T20

A Telefônica apresentou lucro líquido de R$ 1,15 bilhão no primeiro trimestre de 2020. O valor representa uma queda de 14,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

A empresa de telecomunicações registrou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recorrente de R$ 4,4 bilhões, uma alta de 3,4% ante o primeiro trimestre de 2019. A margem Ebitda da Telefônica nos três primeiros meses deste ano foi de 40,9%.

Veja também: BTG Pactual coloca Telefônica (VIVT4) e Equatorial (EQTL3) em carteira mensal

Os custos operacionais recorrentes tiveram queda de 3,3% no 1T20, em relação ao mesmo intervalo do ano passado. O recuo, de acordo com a empresa, aconteceu por conta, principalmente, das menores despesas comerciais em função das iniciativas de digitalização e automação e redução de custos com venda de aparelhos.

Já a receita operacional líquida da Telefônica caiu 1,4% em relação ao mesmo período de 2019, para R$ 10,8 bilhões. No primeiro trimestre do ano passado, o valor registrado foi de R$ 10,9 bilhões.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião