Febraban diz que sempre defendeu teto de gastos, após crítica de Guedes

Febraban diz que sempre defendeu teto de gastos, após crítica de Guedes
Vamos manter suporte à economia, diz Paulo Guedes

Depois de o ministro da Economia Paulo Guedes atacar a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), a instituição declarou, em nota, que sempre se posicionou pela necessidade de sustentabilidade fiscal como pressuposto da retomada econômica. A entidade também disse que sempre foi a favor da manutenção do teto de gastos.

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

lead suno background

O desgaste começou depois de críticas da Federação sobre a possibilidade de criação de um novo imposto sobre os pagamentos, que vem sendo chamada de nova CPMF.

“A Febraban é uma casa de lobby muito honrada, o lobby é muito justo. Mas tem que estar escrito na testa, ‘lobby bancário’, que é para todo mundo entender do que se trata”, disse Guedes ontem.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Guedes reclamou de apoio da Febraban a Marinho

Além disso, o ministro reclamou do apoio da entidade a um estudo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) da Organização das Nações Unidas (ONU) que foi oferecido ao ministro do Desenvolvimento, Rogério Marinho.

“A Febraban financia estudos que não têm nada a ver com operações bancárias, financia ministro gastador pra ver se fura teto e derruba o outro lado”, afirmou Guedes, em audiência pública na Comissão Mista do Congresso Nacional para o acompanhamento de medidas contra o coronavírus.

O ministro disse ainda que medidas do Banco Central, como o PIX e o open banking, irão acabar com o que ele chamou de “cartel bancário”. “Vamos escapar de cartel bancário de 200 milhões de trouxas nas mãos de quatro bancos. E também em outros setores. Não é quebrar ninguém, queremos que crescimento futuro seja melhor distribuído”, completou.

Na noite de ontem, o presidente Jair Bolsonaro fez elogios a Marinho, demonstrando solidariedade ao ministro após as críticas de Guedes à Febraban. De acordo com o presidente, “ninguém viu um ministro do Desenvolvimento Regional melhor que Rogério Marinho”.

(Com Estadão Conteúdo)

Natalia Gómez

Compartilhe sua opinião