Internacional

FBI abriu investigação sobre colaboração secreta entre Trump e russos

0

O FBI teria aberto uma investigação sobre Donald Trump para verificar se ele estaria colaborando em segredo com a Rússia.

A informação foi divulgada neste sábado (12) pelo jornal norte-americano “The New York Times“. Segundo o veículo, a polícia federal dos EUA abriu a investigação em 2017 para apurar se o presidente Donald Trump estaria trabalhando com os russos. O objetivo do FBI é entender se o presidente estaria colaborando com a Rússia contra interesses americanos. O inquérito teria sido aberto dias após Trump demitir James Comey, ex-diretor do FBI.

Saiba mais: Michael Cohen, ex-advogado de Donald Trump, é condenado nos EUA 

Agentes do FBI teriam analisado se as ações do presidente pudessem constituir uma ameaça à segurança nacional. Além disso, o objetivo era entender se Trump estava trabalhando voluntariamente para a Rússia ou se era apenas sob a influência de Moscou. Entre as questões objeto de apuração estava a demissão de Comey, ocorrida maio de 2017. A investigação, que tinha perfil criminal, queria averiguar se essa demissão poderia ser considerada obstrução da Justiça. Entretanto, o NYT não forneceu indicações sobre as conclusões alcançadas pelo FBI.

Suspeitas desde 2016

Para o “The New York Times”, o FBI já suspeitava dos vínculos de Trump com a Rússia durante a campanha de 2016. Todavia, a agência segurou a investigação até o presidente demitir Comey. A demissão foi motivada pois o então diretor havia se negado a arquivar outra investigação sobre a Rússia.

Naquela ocasião, Trump criticou repetidamente a investigação, chamando-a de “caça às bruxas”. O presidente sempre considerou essas acusações como um questionamento a legitimidade de sua presidência. Mas se a demissão de Comey fosse motivada para impedir ou encerrar a apuração sobre a Rússia, seria crime e questão de segurança nacional.

Entretanto, o novo procurador especial Robert Mueller assumiu o caso logo depois ser indicado. O inquérito faz parte de uma investigação mais ampla sobre uma eventual interferência russa nas eleições de 2016. Além disso, o FBI está investigando pessoas ligadas a Trump que poderiam ter conspirado com Moscou. Todavia, o NYT não explica se o procurador ainda está levando adiante essa investigação.

Saiba mais: Donald Trump cancela reunião com Vladimir Putin no G-20 

O jornal explicou que o FBI começou a se interessar por Trump durante a campanha eleitoral de 2016. Naquela ocasião, o então candidato declarou que a Rússia deveria hackear o email de sua rival, a democrata Hillary Clinton. Trump também chegou a elogiar publicamente o presidente russo, Vladimir Putin.

Nenhuma evidência até o momento

O NYT citou James Baker, ex membro do conselho geral do FBI até 2017. Em outubro de 2018 ele deu uma deposição a Câmara dos Deputados sobre as investigações do FBI envolvendo a Rússia. O “The New York Times” utilizou trechos desse depoimento. Entretanto, até o momento não há provas de que Donald Trump tenha colaborado secretamente com os russos. Após um ano e meio de investigação não há evidências de que o presidente dos Estados Unidos estivesse em contato ou recebesse ordens de autoridades do governo da Rússia.

Compartilhe a sua opinião

Carlo Cauti
Editor-chefe da SUNO Notícias. Formado em Ciências Políticas pela universidade LUISS G. Carli de Roma e mestre cum laude em Relações Internacionais, Jornalismo Internacional e de Guerra e em Economia Internacional. No Brasil, teve passagem por veículos de comunicação como O Estado de S.Paulo, G1, Veja e EXAME. Também trabalhou nas agências de notícias italianas ANSA e NOVA.