Negócios

Facebook e Google são alvos de investigação antitruste nos EUA

0

As gigantes da tecnologia Facebook e Google são alvos de investigações antitruste nos Estados Unidos. Os inquéritos foram abertos por 48 procuradores-gerais e devem ser apresentados na próxima semana.

A secretária estadual da Justiça de Nova York, Letitia James, afirmou nesta sexta-feira (6) que está organizando um inquérito contra o Facebook. A investigação irá analisar se a rede social infringiu regras de competitividade e, com isso, prejudicou os consumidores.

“Utilizaremos todas as ferramentas de investigação ao nosso dispor para determinar se as ações do Facebook colocaram em risco dados dos consumidores, reduziram a qualidade das escolhas dos consumidores ou aumentaram o preço de publicidade”, afirmou James.

Além de Nova York, procuradores-gerais de outros estados norte-americanos também participarão da investigação, sendo eles:

  • Colorado;
  • Florida;
  • Iowa;
  • Nebraska;
  • Carolina do Norte;
  • Ohio;
  • Tennessee;
  • Distrito de Columbia.

Investigação sobre o Google

Segundo o jornal britânico “Financial Times”, um grupo formado por cerca de 36 procuradores-gerais apresentará um inquérito contra o Google na próxima segunda-feira (9).

A investigação irá apurar se a influência da empresa sobre a publicidade virtual afeta os consumidores. Para que isso aconteça, a empresa deve fazer com que as escolhas de propagandas fiquem concentradas em companhias específicas.

As fontes do veículo de comunicação informaram que o processo contra a companhia será conduzido procurador-geral do Texas, Ken Paxton, ligado ao Partido Republicano.

Nesta semana, o Google já aceitou pagar uma multa de R$ 170 milhões nos Estados Unidos. A indenização está relacionada com a acusação de exposição dos menores de idade a conteúdos inapropriados, no YouTube, plataforma da gigante norte-americana.

Investigações anteriores contra o Facebook

Em julho, a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC), a comissão de valores imobiliários dos EUA, anunciou um acordo com o Facebook que envolve multa de US$ 100 milhões por práticas ilegais de privacidade.

Além disso, a Comissão Federal do Comércio também multou a rede social em US$ 5 bilhões.

Saiba mais: Facebook pagará US$ 100 milhões aos EUA por práticas ilegais de privacidade

A Comissão de Valores alegou que a companhia divulgou inadequadamente os riscos envolvendo suas práticas de privacidade. Já o órgão de comércio acusou a empresa de má conduta em relação a privacidade dos usuários.

As acusações ocorreram alguns meses após os jornais “The New York Times” e “The Guardian” revelarem que a Cambridge Analytica obteve ilegalmente dados de aproximadamente 50 milhões de usuários do Facebook nos EUA, influenciando o êxito da eleição presidencial de 2016.

Compartilhe a sua opinião

Giovanna Almeida
Giovanna Oliveira escreve sobre economia e política para o portal Suno Notícias. Antes, foi repórter do portal de jornalismo da ESPM-SP e produziu conteúdo para a Corinthians TV. É estudante da ESPM.