Facebook gasta 50% mais em 2018; foco foi infraestrutura e segurança

Facebook gasta 50% mais em 2018; foco foi infraestrutura e segurança
Facebook é multado pela Alemanha por violar lei de transparência

Os gastos do Facebook foram 51% maiores em 2018, em relação ao ano anterior. A empresa de Mark Zuckerberg gastou US$ 31 bilhões no período, contra US$ 20,4 bilhões em 2017.

As informações foram divulgadas pelo Facebook nesta quinta (31).

Saiba mais: Apple anuncia que vai baixar preço do iPhone fora dos Estados Unidos

Saiba mais: Microsoft registra lucro de US$ 8,4 bilhões no 2º trimestre fiscal de 2019

Muito criticada pelas frequentes acusações de violação de privacidade e venda de dados pessoais, a empresa aumentou os gastos principalmente nas áreas de infraestrutura e segurança. De acordo com o diretor financeiro, Dave Wehner, o aumento nos investimentos foram em “infraestrutura, segurança, inovação e fatores sazonais”. O Facebook terminou o ano com 35,5 mil funcionários – e um aumento de 42% na folha de pagamento.

O ano em que o Facebook reforçou os gastos com segurança foi também marcado pelo escândalo Cambridge Analytica. A consultoria política usou dados de usuários do Facebook para impactar as eleições nos Estados Unidos e causou uma crise para Mark Zuckerberg.

Apesar dos gastos maiores, os investidores gostaram dos resultados. Nesta quinta, as ações da empresa subiram 10,82%. O bom desempenho na Nasdaq com a apresentação dos resultados, no entanto, não deve afetar a cautela, segundo Brian Wieser, analista da companhia de análises Pivotal Research. “Mesmo que o quarto trimestre tenha sido certamente favorável, nada nos resultados deveria levar investidores a olhar para a empresa de uma maneira diferente de antes”, disse. “Os custos para manter a plataforma segura provavelmente irão impactar as margens”.

Faturamento, lucro e usuários do Facebook

O faturamento, de US$ 55 bilhões em 2018, ficou acima do esperado. Trata-se de uma alta de 38% em relação a 2017. O lucro aumentou 23% e somou US$ 24,9 bilhões. O número de usuários ativos mensal na rede social em dezembro também teve aumento, 9%, chegando a 2,32 bilhões de pessoas no mundo.

Durante todo o ano de 2018, os gastos em relação ao faturamento foram maiores do que em 2017. No quarto trimestre de 2018, a margem foi de 17% (total de US$ 9,1 bilhões), enquanto no mesmo período do ano anterior, ela foi de 12% (total de US$ 8,1 bilhões).

“Nossa comunidade e negócio continuam crescendo”, disse Zuckerberg. “Nós mudamos a maneira como gerenciamos a empresa para focar nas grandes questões sociais”.

 

Guilherme Caetano

Compartilhe sua opinião