EUA registram 870 mil pedidos de seguro-desemprego

EUA registram 870 mil pedidos de seguro-desemprego
O total de pedidos de seguro-desemprego dos EUA da semana anterior foi revisado para cima, de 860 mil para 866 mil.

O número de solicitações do seguro-desemprego nos EUA registraram aumento de 4 mil e totalizou 870 mil na semana encerrada em 19 de setembro. Os dados foram divulgados pelo Departamento do Trabalho americano nesta quinta-feira (23).

lead suno imagem ilustrativa

Receba as principais notícias do mercado diariamente.

Receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!

Parabéns! cadastro feitocom sucesso.

lead suno background

O total de pedidos de seguro-desemprego dos EUA apresentou uma aceleração em comparação com o número registrado nas semanas anteriores. A previsão dos analistas consultados pelo “The Wall Street Journal” apontava para 850 mil solicitações.

O total de pedidos da semana anterior foi revisado para cima, de 860 mil para 866 mil. Já o número de pedidos continuados sofreu redução de 167 mil na semana encerrada em 12 de setembro, a 12,58 milhões.

Suno One: o primeiro passo para alcançar a sua independência financeira. Acesse agora, é gratuito!

As solicitações feitas durante a crise da pandemia do novo coronavírus (covid-19) já superaram todos os ganho de emprego desde a crise financeira de 2008. O recorde de pedido de 6,867 milhões foi atingido no final de março.

EUA precisará de mais apoio fiscal para recuperar economia, diz Fed

O presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, informou na última quarta-feira (23) que é provável que os EUA irá precisar de mais um pacote de gastos públicos aprovado pelo Congresso, para apoiar a retomada econômica. A afirmação foi feita durante uma audiência na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos.

Apesar de acreditar que haverá mais apoio fiscal, o presidente do Fed afirmou: “não vou discutir quando e quanto”. Além disso, ele destacou que “houve progressos nos últimos meses, mas ainda há 16 milhões de pessoas que perderam empregos, ou estão trabalhando em período parcial”.

Por sua vez, Charles Evans,  o presidente do Federal Reserve de Chicago, participou de um evento do Market News International nessa quarta-feira,  e também declarou que o déficit fiscal não é um problema. Ele ainda salientou que sem mais medidas de estímulos fiscais, o mercado de trabalho pode desacelerar.

Segundo Evans, o apoio fiscal a Estados e municípios é um ponto importante na recuperação. O executivo ainda ressaltou que espera que a acomodação do banco central dos EUA ajude com o tempo.

Com informações do Estadão Conteúdo 

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião