Negócios

EUA pedem para o Brasil suspender tarifa sobre a importação do etanol

0

Os Estados Unidos pediram para que o Brasil considere a suspensão da tarifa nas exportações de etanol. De acordo com uma autoridade do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), os norte-americanos estão com a expectativa de um resultado positivo.

De acordo com o subsecretário de Comércio e de Relações Exteriores para Agricultura do USDA, Ted Mckinney, não indicou a possível suspensão da tarifa. “Nossa esperança é pelo relacionamento caloroso entre nossos presidentes”.

Atualmente, o Brasil cobra uma tarifa de 20% sobre as importações que passarem dos 150 milhões de litros de etanol, por trimestre. No entanto, essa é uma medida tomada para proteger os produtores locais da concorrência externa.

Saiba mais: União Europeia colocará limites à importação de aço do Brasil

Estados Unidos pressionam o Brasil

Em dezembro de 2018, os Estados Unidos indicou o desejo de exportar mais trigo e etanol. No entanto, os norte-americanos passaram a pressionar o Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC) por contas das tarifas.

De acordo com os Estados Unidos, a cota para importação do etanol deve ser eliminada. Além disso, em relação ao trigo, os norte-americanos pedem a implementação de uma cota sem tarifa, para ampliar o acesso de seus produtores ao mercado brasileiro

Os EUA esperam que os pedidos sejam atendidos rapidamente pelo governo de Jair Bolsonaro, publicamente mais alinhado com a gestão de Donald Trump.

Saiba mais: Estados Unidos querem exportar mais trigo e etanol

No encontro realizado em Genebra, a delegação americana insistiu na eliminação da cota de importação do etanol. Segundo eles, a cota, adotada em agosto de 2017, tem que ser eliminada ou não dever ser renovada em julho.

Em relação ao trigo, os Estados Unidos argumentam que o Brasil não respeita o compromisso assumido na OMC. O compromisso é criar uma cota de importação de 750 mil toneladas livre de tarifa.

Compartilhe a sua opinião

Renan Bandeira
Renan Bandeira escreve sobre política e economia para o portal da Suno Research. Antes da Suno, trabalhou em uma rede de televisão, onde fazia reportagens sobre os mesmos temas. Estuda na Universidade Metodista de São Paulo.